NOTÍCIAS
05/04/2014 10:28 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:23 -02

PF desvenda esquema de pagamento de propina em negócios da Petrobras

MARCOS ARCOVERDE/Estadão Conteúdo

Conforme informou a edição desta semana da revista Época, a Polícia Federal (PF) começou a desvendar um esquema de pagamento de propina para fazer negócios com a Petrobras.

Segundo a Época, os papéis já analisados pela PF sugerem que as maiores empreiteiras do país e as principais vendedoras de combustível do planeta pagavam comissão para fazer negócio com a Petrobras.

Leia também: A marca da ruína na Petrobras vai durar

Os documentos mostram as empresas de fachada, as contas em paraísos fiscais, a lista de empreiteiras e os indícios de corrupção que o ex-diretor Paulo Roberto Costa, preso há duas semanas pela PF, não conseguiu destruir antes da prisão, diz a revista.

Já o jornal Folha de S. Paulo informou na edição impressa deste sábado (05), com base em um laudo da PF, que nove fornecedores da Petrobras depositaram R$ 34,7 milhões na conta de uma empresa de fachada controlada pelo doleiro Alberto Youssef.

De acordo com a Folha, a confissão de que a empresa não tem atividade de fato foi feita por um empregado do doleiro, Waldomiro de Oliveira, em nome de quem a MO Consultoria está registrada na Junta Comercial de São Paulo. A Folha teve acesso ao depoimento do funcionário, que decidiu colaborar com a PF na tentativa de receber uma pena menor.

A suspeita é a de que a MO Consultoria repassava propina para funcionários públicos e políticos. O relatório da PF, afirma o jornal, indica que há "fortes indícios da utilização das contas da empresa para trânsito de valores ilícitos". A consultoria foi descoberta pela PF durante a investigação da Operação Lava Jato, que apura lavagem de dinheiro com uso simulado de importação e exportação.