NOTÍCIAS
04/04/2014 14:34 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:23 -02

Estudo da CNI aponta que medo do desemprego e insatisfação com a vida aumentou entre os brasileiros

ThinkStock

Como já diria a cantora Kátia, não está sendo fácil.

O brasileiro está com medo de perder o emprego e anda menos satisfeito com a vida ultimamente.

Uma pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mediu estes dois fatores tão importantes e concluiu: o medo de ficar desempregado (IMD, na sigla para "índice do medo do desemprego") aumentou em 0,8% entre dezembro de 2013 e março deste ano. A satisfação do brasileiro com a vida recuou 1% nesse mesmo período.

A pesquisa, encomendada pela CNI para o Instituto de Opinião Pública e Estatística, o Ibope, foi feita em 141 municípios do país. Foram entrevistadas 2002 pessoas entre os dias 14 e 17 de março.

Na comparação com março de 2013, o IMD subiu mais, 6,7%, e de forma generalizada, disseminando-se praticamente em todos os perfis da pesquisa (por sexo, idade, grau de instrução, renda familiar) e nos domicílios (região, condição e tamanho do município). Por região, a exceção foi o Nordeste, onde o temor do desemprego permaneceu estável em março último sobre o mesmo mês de 2013.

De acordo com a CNI, o aumento do medo do desemprego entre dezembro de 2013 e março passado cresceu conforme a renda familiar, sendo mais alto entre os brasileiros de maior renda. Subiu de 3% entre aqueles de renda familiar até um salário mínimo a 14,2% entre aqueles com renda familiar acima de 10 salários mínimos. A pesquisa, chamada Termômetros da Sociedade Brasileira, revela ainda que, comparativamente a março de 2013, a satisfação com a vida recuou 2,2%.