NOTÍCIAS
30/03/2014 19:33 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:16 -02

Primeiro-ministro turco confirma favoritismo em eleições

Anadolu Agency via Getty Images
ISTANBUL, TURKEY - MARCH 30: The head of the ruling Justice and Development Party, Turkish Prime Minister Recep Tayyip Erdogan greets the crowd outside his residence in Uskudar, Turkey on March 30, 2014. (Photo by Ahmet Dumanli/Anadolu Agency/Getty Images)

A apuração dos votos na Turquia mostra que o partido do primeiro-ministro, Recep Tayyip Erdogan, saiu vitorioso das eleições locais, porém a oposição denuncia casos de fraudes e manipulações. A agência de notícias estatal Anadolu informou que o Partido da Justiça e do Desenvolvimento (AKP), de Erdogan, teve 48% dos votos em âmbito nacional, com 41% dos votos apurados. O Partido Republicano do Povo, de oposição, estava com 28%.

Na maior cidade da Turquia, Istambul, e na capital, Ancara, os dois partidos reivindicam a vitória e se acusaram mutuamente de fraude. Normalmente, as eleições locais na Turquia não recebem grande destaque internacional. Mas a votação deste domingo chamou a atenção por ser considerada um teste à aprovação popular de Erdogan, envolvido em um escândalo de corrupção que derrubou quatro ministros do seu governo.

O resultado provavelmente positivo de hoje pode encorajar o premiê a se candidatar às eleições para a presidência da Turquia, que acontecem em agosto. Apesar do temor do crescimento da oposição, Erdogan tem tido repetidamente que irá respeitar o resultado das urnas. "Felicito o meu país com a esperança de que este será um passo em direção a uma democracia avançada", disse ele hoje pela manhã, após a votação.

Porém, com a política nacional cada vez mais polarizada, o resultado poderia provocar uma nova onda de protestos de rua em todo o país. "Se não houver nenhuma alteração, a posição de Erdogan continuará a ser mais dura. Acho isso inaceitável, porque as pessoas não são as mesmas após os protestos e os escândalos de corrupção", disse Oya Belirgen, 32 anos, desempregado que votou contra o AKP em um distrito de Istambul. Fonte: Dow Jones Newswires.