NOTÍCIAS
26/03/2014 19:08 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:16 -02

Médico da F-1 sobre Schumacher: "Fãs, se preparem para o pior"

Flickr

Gary Harstein, chefe do serviço médico da Fórmula 1 entre 2005 e 2012, afirmou, nesta quarta-feira, em entrevista concedida em Kuala Lumpur, na Malásia, local onde será realizada a próxima etapa da F-1, que a falta de informações oficiais sobre o estado de saúde de Michael Schumacher é altamente preocupante e disparou contra os médicos que o atenderam logo após o acidente sofrido pelo heptacampeão do mundo, em 29 de dezembro de 2013, na estação de esqui em Méribel, na França.

Herstein já havia escrito em seu blog pessoal, na segunda-feira, que “fontes habitualmente impecáveis” evidenciaram que “aconteceram lapsos sérios de avaliação" no momento dos primeiros socorros prestados ao ex-piloto.

Para o médico, “estes lapsos poderiam ter piorado (e quase com toda certeza pioraram de fato) o caso de Michael". A ausência de informações oficiais sobre o estado de saúde da lenda do esporte – o último boletim médico foi divulgado em 12 de março -, para Harstein, aumenta as suspeitas de que Schumacher esteja “no fim da linha”. O “Dr. F-1”, inclusive, também em seu blog pessoal, pediu para os fãs já se “prepararem para o pior”, prevendo a morte iminente do alemão.

O ex-piloto foi colocado em coma induzido no dia 30 de janeiro e entrou na fase de despertar progressivo, que consiste em reduzir progressivamente os sedativos administrados. Schumi está internado em um hospital em Grenoble, na França e já teria perdido cerca de 20 quilos, equivalente a 25% de sua massa corporal.

Galeria de Fotos Veja fotos da carreira de Michael Schumacher Veja Fotos