NOTÍCIAS
26/03/2014 20:23 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:16 -02

CPI de Petrobras: PSDB anuncia ter assinaturas para investigação parlamentar

Reuters

O PSDB anunciou na noite desta quarta-feira (26) ter conseguido 29 assinaturas para a abertura da CPI da Petrobras no Senado. O número corresponde a dois a mais do que o mínimo necessário para instalar a comissão parlamentar para investigar a estatal petrolífera brasileira. A meta é obter também apoio na Câmara Federal, instalado assim uma Comissão Parlamentar de Inquérito Mista (CPMI).

De acordo com os tucanos, assinaram o pedido os seguintes senadores: senadores Jarbas Vasconcellos, Pedro Taques, Cássio Cunha Lima, Mário Couto, José Agripino, Aécio Neves, Cristovam Buarque, Cyro Miranda, Cícero Lucena, Pedro Simon, Randolfe Rodrigues, Ruben Figueiró, Ana Amélia, Flexa Ribeiro, Lúcia Vânia, Sérgio Petecão, Paulo Bauer, Jaime Campos, Aloysio Nunes Ferreira, Maria do Carmo Alves, Clésio Andrade, Eduardo Amorim, Rodrigo Rollemberg, Vicentinho Alves, Álvaro Dias, Wilder Morais, Antônio Carlos Valadares, João Capiberibe e Lídice da Mata.

O número de assinaturas no Senado só foi possível graças ao apoio do PSB, partido do governador de Pernambuco e pré-candidato à Presidência da República, Eduardo Campos. Os quatro senadores da sigla acataram a orientação do senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF).

De acordo com o senador Álvaro Dias (PSDB-PR), a comissão do Senado vai se focar em quatro pontos durante as investigações: o caso Pasadena, os indícios de propina a funcionários na Holanda, a denúncia de plataformas lançadas sem itens de segurança, e o suposto superfaturamento na construção de refinarias.

“O objetivo dos ministros do governo não é esclarecer, é acobertar. A CPI é a forma de abrir a caixa preta da Petrobras (...). Queremos que o comando dessa CPI fique dividido entre governo e oposição, para garantir a investigação isenta”, afirmou Dias.

O senador Aécio Neves (PSDB-MG), pré-candidato tucano ao Palácio do Planalto e um dos líderes do movimento a favor da CPI da Petrobras, também bateu duro no governo federal. “Deveriam ter pensado nos acionistas, ao invés de, com decisões equivocadas, tornar a Petrobras a mais endividada do mundo”, declarou.

O PSDB anunciou ainda que deveria entregar o requerimento de abertura da CPI da Petrobras ainda nesta quarta-feira à Mesa Diretora do Senado, o que não ocorreu. Isso deve ser formalizado na manhã desta quinta-feira (27). Os tucanos disseram ainda terem mais de 100 assinaturas entre os deputados federais. Na Câmara, a oposição precisa obter no mínimo 171 adesões, para assim a petrolífera ser investigada pelas duas Casas do Congresso Nacional.

A bancada governista no Senado lamentou, mas o líder do PT na Casa, senador Humberto Costa (PT-PE) disse à jornalista Cristiana Lôbo, da Globo News, que o partido integrará a comissão.

A discussão sobre o caso, agora no âmbito da investigação pelo Legislativo, está apenas começando.