NOTÍCIAS
18/03/2014 08:48 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:13 -02

Em discurso provocador, Putin diz que a Crimeia foi roubada da Rússia

Maxim Shemetov/Reuters

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, assinou um decreto para aprovar a anexação da Crimeia e fez um discurso ousado e provocador nesta terça-feira (18) contra Estados Unidos e União Europeia em uma sessão no Parlamento russo, a Duma.

“EUA e Europa disseram que violamos o direito internacional. Que bom que eles lembraram do direito público internacional, antes tarde do que nunca. O que nós estamos violando?”, provocou Putin. "Os habitantes da Crimeia expressaram de forma clara e veemente: eles querem ficar com a Rússia".

Leia também: As várias faces de Vladimir Putin

“O Ocidente reconheceu a separação do Kosovo, mas não aceitam a independência da Crimeia. Por quê? Porque eles não aceitam para os russos e habitantes da Crimeia os privilégios que eles têm. Não é duplo padrão, é um cinismo inacreditável e direto, não é possível colocar tudo sob seus interesses. O Kosovo é o equivalente à Crimeia, foi o próprio Ocidente que estabeleceu esse precedente”, disse o presidente russo.

“Tentaram um golpe de estado, mais uma vez. Terror e assassinato foram usados por esse objetivo. Foram os nacionalistas, que até agora continuam a dominar o povo ucraniano. Eles estão controlados pelos radicais na Ucrânia, os radicais do Maidan. Quem resistiu a esse golpe começou a sofrer perseguição, e eles pediram à Rússia para que defendêssemos os seus direitos à vida. Não podíamos abandonar os habitantes da Crimeia nessa situação desastrosa, seria traição da nossa parte”, afirmou.

Putin ainda disse que preza por uma boa relação com a Ucrânia e que não é do interesse russo dividir a Ucrânia. “Nós não somos apenas vizinhos, somos uma nação única. Kiev é a mãe de todas as cidades russas. Queremos amizade com a Ucrânia”.

No entanto, o presidente russo disse também que a Crimeia “passou de mão em mão como um saco de batatas”, mas que é até hoje uma parte inseparável da Rússia. “Nos nossos corações, sempre soubemos que a Crimeia é uma parte inalienável da Rússia”.

Duma

Mais cedo, parlamentares russos responderam com sarcasmo às sanções ocidentais impostas contra autoridades envolvidas nos procedimentos para anexar a Crimeia, pedindo aos Estados Unidos e à União Europeia que imponham as mesmas penalidades a centenas de membros do Parlamento.

Uma declaração adotada por unanimidade pela Duma Federal, a câmara baixa do Parlamento, afirmou: "Nós propomos ao sr. Obama e aos ... euroburocratas que incluam todos os deputados da Duma Federal que votaram a favor desta resolução na lista de cidadãos russos afetados pelas sanções dos EUA e da UE".

No domingo, a Crimeia fez um referendo no qual a maioria esmagadora da população decidiu pela independência da região. Na segunda-feira, a Crimeia pediu anexação à Rússia e Putin reconheceu a península como um "país soberano".

(Com Reuters)