NOTÍCIAS
18/03/2014 09:52 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:13 -02

Avião desaparecido da Malásia pode ter sido desviado por computador de bordo

A mudança de rota do avião da Malaysia Airlines, desaparecido desde o dia 8 de março, pode ter sido realizada através do computador de bordo – muito provavelmente por alguém de dentro da cabine e com conhecimento técnico, informaram fontes oficiais americanas ouvidas pelo jornal The New York Times. Ao invés de ter sido desviado manualmente, como se acreditava até então, especialistas ouvidos pelo NYT defendem que o avião teve sua rota alterada por alguém que usou o sistema computadorizado da aeronave, chamado Flight Management System (Sistema de Gerenciamento de Voo) e localizado na cabine, entre o comandante e o copiloto.

O sistema de controle computadorizado do voo conduz a aeronave de um ponto a outro de acordo com os dados introduzidos antes da decolagem. Nesse caso, no entanto, não está claro ainda se a rota foi reprogramada antes ou depois da decolagem da aeronave em Kuala Lumpur, explicaram os especialistas.

Na opinião dos investigadores consultados pelo NYT, o fato de que a rota possa ter sido modificada através do computador de bordo reforça a hipótese de que o desaparecimento do avião condiz com uma ação deliberada e põe o foco sobre o comandante e seu copiloto, já que parece improvável que um dos passageiros fosse capaz de operar o sistema computadorizado do Boeing.

A polícia da Malásia está investigando os pilotos e os engenheiros do avião e pediu para as agências de inteligência de países com passageiros a bordo para verificarem o histórico dos cidadãos em busca de possíveis ligações com atos terroristas. Nesta terça-feira, o governo chinês descartou qualquer ligação dos chineses a bordo com atividades terroristas – das 239 pessoas transportadas, 154 eram da China.

Ação deliberada

Funcionários do governo da Malásia afirmaram que a rota do avião foi deliberadamente alterada por alguém no Boeing menos de uma hora depois da decolagem e que duas peças vitais no equipamento de comunicação foram desligadas, permitindo que o avião voasse praticamente sem ser detectado. Nesta segunda-feira, surgiu uma nova hipótese levantada por pilotos de diversas companhias aéreas apontando que o avião desaparecido pode ter voado em baixas altitudes em rotas comerciais para escapar da identificação dos radares militares.