NOTÍCIAS
12/03/2014 21:15 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:35 -02

Nova derrota: PSC, de Feliciano, declara independência ao governo federal

JUANA ACIOLI/LEIAJÁIMAGENS/ESTADÃO CONTEÚDO

O governo federal sofreu mais uma derrota no fim da tarde desta quarta-feira (12). O Partido Social Cristão (PSC), partido do Pastor Marco Feliciano (SP), declarou a sua independência nas votações no Congresso Nacional. A posição é a mesma já declarada pela bancada do PMDB na Câmara Federal.

Detalhes da decisão foram destacados pelo líder do PSC na Câmara, André Moura (SE). “O PSC não tem vínculo com o governo. Os únicos cargos que tínhamos foram devolvidos no segundo semestre de 2011, hoje não temos mais nada. Participamos das reuniões da base aliada porque não houve rompimento formal, mas sempre votamos com independência, inclusive contra o governo”.

O posicionamento do PSC não chega a surpreender. O próprio Marco Feliciano, em sua página no Twitter, conclamou o partido a romper com a “prepotência petista”.

O PSC também destacou que terá candidato próprio para as eleições presidenciais de outubro, o Pastor Everaldo, o que significa que a sigla não deverá estar na base de apoio à reeleição de Dilma Rousseff. “Nós temos um pré-candidato que provou seu potencial. Já na primeira pesquisa em que foi citado, apareceu em quarto lugar. Portanto, o encaminhamento da bancada deve ser todo em função do fortalecimento desta nossa candidatura”, completou Moura.

Segundo o Uol, o líder do PSC aproveitou a ocasião para garantir que declarar independência não significa um adesão à oposição. “Vamos agir com independência e encaminhar as matérias da maneira que for melhor para o país. Vamos dizer 'sim' quando entendermos que for melhor e 'não' quando acharmos que não será melhor”.

A posição do PSC fortalece a posição do partido no “blocão”, grupo que conta com os deputados do PMDB e que estão insatisfeitos com as relações com o governo federal.