NOTÍCIAS
12/03/2014 12:30 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:13 -02

Comissão aprova convite a presidente da Petrobras para falar sobre denúncias

RUDY TRINDADE/FRAME/ESTADÃO CONTEÚDO

Depois da derrota do governo na Câmara, que aprovou a instalação de comissão para investigar esquema de propina na Petrobras, a presidente da estatal, Graça Foster, também está na mira dos deputados. A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle aprovou nesta quarta-feira (12) requerimento do PSDB que convida a executiva para prestar esclarecimentos sobre contratos firmados com a empresa SBM Offshore. O requerimento era o quarto item da pauta e teve a análise antecipada mesmo com voto contrário do PT.

Segundo o autor do pedido, deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP), o convite à presidente da Petrobras tem o objetivo de apurar denúncias de um ex-funcionário da SBM dando conta do suposto pagamento, entre 2005 e 2011, de US$ 139 milhões em propina a funcionários da Petrobras em troca de contratos de aluguel de plataformas móveis ou sistemas flutuantes de produção de petróleo.

O líder do PMDB, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), propôs a aprovação do requerimento por acordo. Segundo Cunha, o convite à presidente da Petrobras evitaria a votação, em seguida, de outro requerimento para a convocação do Ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, para tratar do mesmo assunto.

“Se a presidente da Petrobras não comparecer no prazo constitucional [de 30 dias] que é dado para a vinda de ministros, nós convocaremos o ministro Edson Lobão”, afirmou Cunha. Já o deputado Sibá Machado (PT-AC) afirmou que o acordo para a aprovação do convite a Graça Foster foi firmado apenas com base nos termos do requerimento proposto por Macris.

LEIA MAIS:

- Líder do "blocão" prega derrota do Marco Civil da Internet

- Câmara está paralisada com crise entre PT e PMDB