NOTÍCIAS
11/03/2014 14:12 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:13 -02

Copa do Mundo: para evitar vaias, Dilma e Blatter não discursarão na cerimônia de abertura

Buda Mendes - FIFA via Getty Images
BRASILIA, BRAZIL - JUNE 15: FIFA President Sepp Blatter (l) looks on with the President of Brazil Dilma Rousseff prior to the FIFA Confederations Cup Brazil 2013 Group A match between Brazil and Japan at National Stadium on June 15, 2013 in Brasilia, Brazil. (Photo by Buda Mendes - FIFA/FIFA via Getty Images)

A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, e o presidente da Fifa, Joseph Blatter, não devem discursar na cerimônia de abertura da Copa do Mundo, no dia 12 de junho, para evitar possíveis vaias. As informações são da agência de notícias alemã DPA.

"Vamos fazer a cerimônia inaugural de maneira a evitar discursos", disse Blatter em entrevista em Berlim.

Tanto Dilma quanto Blatter foram vaiados em junho de 2013 durante a cerimônia de abertura da Copa das Confederações no estádio Mané Garrincha, em Brasília. A situação serviu como gatilho para uma série de manifestações em todo o país, quando foram criticados os gastos do país com obras relacionadas à Copa do Mundo.

Blatter, que estará ao lado de Dilma no jogo de abertura da Copa, entre Brasil e Croácia, no Itaquerão, disse que não é "profeta" quando se trata de voltar a sofrer com vaias do público.

"Não é possível saber o que vai acontecer, não sou nenhum profeta. Estou convencido de que no Brasil os protestantes não vão poder apelar para os mesmos argumentos da Copa das Confederações, porque não são válidos", falou Blatter, completando "é muito tarde para dizer que não se pode fazer o Mundial"