NOTÍCIAS
10/03/2014 10:23 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:13 -02

Líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha mantém tom de desafio ao PT e ao governo

Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

Um dos principais expoentes da crise entre PT e PMDB, o deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) voltou a cutucar o PT e assegurar que ele não é voz dissonante em seu partido. Pelo Twitter, o líder do PMDB na Câmara disse na noite de domingo (9) que só expressa "o que a bancada pensa e decide" conjuntamente. "Logo tentar me isolar é isolar a bancada do PMDB", tuitou.

O parlamentar informou que a bancada da legenda vai se reunir na terça-feira (11) e convidou o presidente do PMDB, senador Valdir Raupp (PMDB-RO), para participar. Ele alfinetou em um tweet o Partido dos Trabalhadores. "Sou gratuitamente agredido pelo PT... Reajo e aí viro o culpado, e eles, a vítima."

As declarações de Cunha foram feitas após reunião entre a presidente Dilma Rousseff e o vice-presidente Michel Temer. Dilma busca a pacificação da bancada da Câmara e, de fato, o isolamento de Eduardo Cunha. Entretanto, conforme apuração do Estadão, mais de 31% dos deputados do PMDB querem romper aliança com PT. Assim, a base governista estaria ameaçada, o que significa maior dificuldade para o Planalto conseguir aprovar projetos de seu interesse.