COMPORTAMENTO
10/03/2014 16:57 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:13 -02

Beyoncé e outras mulheres poderosas querem banir a palavra "mandona" do seu vocabulário (VÍDEO)

Estrelas norte-americanas e mulheres líderes como Hillary Clinton e Condoleeza Rice querem que as pessoas parem de chamar mulheres de mandonas, ou teimosas, e deixem de limitar, com palavras, o futuro das meninas.

O raciocínio faz sentido: por que meninas são chamadas de mandonas e homens são líderes? No vídeo, mulheres poderosas (e algumas vozes masculinas) querem banir a palavra. E a mensagem deixada por Beyoncé é clara “não sou mandona, eu sou chefe”.

Segundo o vídeo, garotas são menos interessadas em liderança do que homens, “e isso é porque elas se preocupam em serem chamadas de mandonas”. É hora de banir palavras que limitam as meninas e encorajar as garotas a serem ambiciosas e serem líderes.

A campanha “Ban Bossy” é promovida pela organização Lean In, da diretora do Facebook, Sheryl Sandberg.

“Não há limites”, diz Condoleeza Rice, primeira mulher a ser secretária de Estado dos Estados Unidos, um dos mais altos e importantes cargos do país, e segunda pessoa negra a ocupar o cargo. Mulheres não são mandonas, não são "mal-comidas", teimosas ou insistentes: elas também são líderes e chefes.

Em tempo: a fundadora e editora do The Huffington Post, Arianna Huffington, também participa da campanha. :)