NOTÍCIAS
06/03/2014 08:57 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:13 -02

Crimeia decide fazer parte da Rússia e convoca referendo

Sean Gallup via Getty Images
SIMFEROPOL, UKRAINE - MARCH 03: A small group of pro-Russian militants maintain guard outside the Crimean Parliament building on March 3, 2014 in Simferopol, Ukraine. Police have removed roadblocks in the city center and access to the Crimean Parliament building is open again in signs that daily life is returning to a form of normalcy and that pro-Russian forces have cemented their control of the Crimean capital. Meanwhile world leaders have warned Russian President Vladimir Putin against further escalation that could spark war between Russia and Ukraine. (Photo by Sean Gallup/Getty Images)

O parlamento da Crimeia aprovou há pouco, por unanimidade, a incorporação da região ao território da Rússia. Em comunicado, a instituição disse que o movimento é uma resposta "ao resultado de um golpe inconstitucional" na Ucrânia, que instaurou um novo governo em Kiev e "violou às leis do país". O governo local também convocou um referendo no dia 16 de março para ouvir a população sobre a decisão.

"Esta é a nossa resposta à desordem e anarquia em Kiev", disse Sergei Shuvainikov, deputado do parlamento local. "Nós vamos decidir o nosso próprio futuro", complementou.

A decisão teve 78 votos a favor, nenhum voto contra e oito abstenções. Em entrevista à agencia russa RIA, o vice-premier da Crimeia, Rustam Temirgaliev, explicou que o referendo terá duas perguntas. A primeira questionará se a população é a favor da integração do território com a Rússia e a segunda perguntará se a região deve retomar a Constituição de 1992, onde afirma que a Crimeia é parte da Ucrânia.

O governo central da Ucrânia ainda não se manifestou sobre a decisão. Ontem, o atual primeiro-ministro do país, Arseny Yatseniuk, afirmou que o território da Crimeia ainda faz parte da Ucrânia.