NOTÍCIAS
03/03/2014 22:12 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:13 -02

David Cameron: mesmo com alertas, Grã-Bretanha pode se opor a sanções contra capital russo

World Economic Forum/Flickr
DAVOS/SWITZERLAND, 28JAN11 - David Cameron, Prime Minister of the United Kingdom, speaks during the 'Special Address' at the Annual Meeting 2011 of the World Economic Forum in Davos, Switzerland, January 28, 2011...Copyright by World Economic Forum.swiss-image.ch/Photo by Moritz Hager

A Grã-Bretanha se opõe a sanções comerciais contra a Rússia e não quer fechar o capital financeiro de Londres aos russos em represália à intervenção do Kremlin na Ucrânia, informou a BBC, citando um documento que foi inadvertidamente mostrado para um fotógrafo.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, tem alertado ao presidente russo, Vladimir Putin, que a Rússia terá de pagar "custos significativos" a menos que o Kremlin mude o curso na Ucrânia, cuja região autônoma da Crimea está agora sendo controlada por forças russas.

Mas um documento oficial que foi fotografado enquanto uma autoridade o levava nesta segunda-feira para uma reunião na residência de Cameron, na Downing Street, mostra que a Grã-Bretanha pode se opor a sanções que possam minar a reputação de Londres como um refúgio para o capital russo.

"A Grã-Bretanha não deveria apoiar por ora sanções comerciais ou fechar o centro financeiro de Londres aos russos", diz o documento, segundo a BBC.

O documento, cujo texto não pode ser claramente entendido a partir da fotografia publicada pela BBC, revela que ministros britânicos estão estudando restrições a vistos e proibições de viagens para altas autoridades russas, afirma a BBC.

Quando indagada sobre a reportagem, uma porta-voz do gabinete de Cameron disse que o governo não faz comentários sobre documentos vazados.