MUNDO
01/03/2014 18:19 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:13 -02

União Europeia lamenta ações russas na Ucrânia

Anadolu Agency via Getty Images
KIEV, UKRAINE - FEBRUARY 8: Awaiting of anti-government protesters keep going on in the Ukrainian capital of Kiev, on February 8, 2014. Anti-government demonstrators remain on the streets of the Ukraine capital, Kiev, in the wake of the widely perceived failure of crisis talks. (Photo by Burak Akbulut/Anadolu Agency/Getty Images)

A decisão da Rússia de autorizar o uso das forças militares na Ucrânia é uma "injustificada escalada da tensão", a Rússia deveria promover sua opinião por meio de "meios pacíficos", afirmou a chefe da diplomacia da União Europeia, Catherine Ashton, neste sábado.

"Eu lamento a decisão tomada hoje pela Rússia de usar as forças militares na Ucrânia. Isto é uma injustificada escalada das tensões. Por isso, pedi para a Federação Russa não enviar essas tropas, mas promover suas considerações por meios pacíficos", declarou Ashton em nota.

Ela confirmou que convocou uma reunião de emergência, na segunda-feira (3), com ministros de Relações Exteriores "para discutir a resposta da União Europeia" aos eventos na Ucrânia.

Desta forma, Ashton postergou sua viagem para Kiev de segunda-feira para quarta-feira(5). Ela também confirmou que ainda planeja encontrar o ministro do exterior russo Sergei Lavrov na próxima semana. Essa reunião estava originalmente marcada para quinta-feira (6).

Um diplomata europeu disse que a ideia original era realizar uma reunião especial de ministros de Relações Exteriores na quarta-feira, mas a chefe da diplomacia da União Europeia a antecipou para segunda-feira por causa dos eventos das últimas 24 horas.

Na sua declaração, Ashton disse que qualquer movimento das forças militares deve ser feito de acordo com as leis internacionais. "A unidade, a soberania e a integridade territorial da Ucrânia devem ser respeitados em todos os momentos e por todos os lados. Qualquer violação destes princípios é inaceitável ", disse.