NOTÍCIAS
28/02/2014 17:56 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:13 -02

Carnaval 2014: Motoristas denunciam arrastão na Imigrantes perto do Guarujá

DAVI RIBEIRO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Um grupo de jovens aproveitou o congestionamento e realizou um arrastão na Rodovia dos Imigrantes, próximo ao Guarujá na tarde de sexta-feira. Segundo relatos de vítimas, os ladrões atacaram de surpresa, abriram portas de carro, retiraram objetos e, para assustar os motoristas, puxaram até crianças para fora dos carros.

“É um absurdo, dez moleques abrindo a porta dos carros das pessoas arrancando criança, arrancando bolsa, machucando todo mundo”, disse a advogada Luciane Delicato da Silva.

Assustados, alguns motoristas tentaram voltar pelo acostamento, piorando o trânsito ainda mais. A Ecovias - empresa que administra o Sistema Anchieta-Imigrantes - confirmou que recebeu reclamações de motoristas vítimas de arrastões no trecho de baixada da Imigrantes. A empresa afirma ter acionada a Polícia Militar.

De acordo com a Agência Estado, uma turista flagrou o momento em que dois assaltantes armados assaltaram um Fiesta prata, com a placa de Sertãozinho (SP), no acesso entre a Rodovia Imigrantes e a Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, no sentido Guarujá, litoral sul de São Paulo.

Segundo a turista, que pediu para não ser identificada, os dois assaltantes pularam o muro que separa a pista e foram violentos. "Parece que eles (bandidos) ficaram nervosos, tinha um rapaz com a arma. Começaram a bater no carro e as duas mulheres não conseguiam entregar os pertences para eles", disse ela, que fotografou a ação.

"Todo mundo nos outros carros ficou apavorado, não tinha o que fazer". Segundo ela, que viajava com o marido para o Guarujá, o carro assaltado era ocupado por duas senhoras, que ficaram transtornadas.

A Polícia Rodoviária negou o arrastão ao G1: “Foi um desencadear de ações. Um primeiro veículo foi vítima de roubo, os outros acabaram se assustando com a situação e alguns deles começaram a voltar pela contramão. A população pode ficar tranquila porque o policiamento está dimensionado para fazer frente à essas demandas”, conclui o Major José Marcelo Macedo Costa.

Atualizado em 1º de março, às 10h08.