NOTÍCIAS
27/02/2014 09:02 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:13 -02

Voto de ministro novato deve seguir tendência de absolvição de mensaleiros

JOEL RODRIGUES/FRAME/ESTADÃO CONTEÚDO

O voto decisivo desta última fase do julgamento do mensalão está nas mãos do ministro Teori Zavascki. Internamente, seus colegas dão como certo que ele também absolverá os condenados da formação de quadrilha.

No ano passado, quando o tribunal julgava a ação penal contra o senador Ivo Cassol (PP-RO), igualmente acusado de formação de quadrilha, Teori defendeu sua absolvição, com os mesmos argumentos usados nesta quarta-feira, 26.

No julgamento de outros recursos, Teori votou por alterar as penas definidas pelo tribunal em 2012, quando o mérito das acusações foi decidido. Assim como defendeu Luís Roberto Barroso, Teori entendeu que o tribunal aumentou indevidamente as penas e votou por reduzi-las. A sessão de hoje, marcada para 10h, começa justamente com o voto dele.

Leia mais notícias de mensalão

Caso confirmada a expectativa dos demais ministros, haverá maioria consolidada para extinguir a tese de que o PT montou no Planalto uma quadrilha para desviar recursos públicos e comprar votos no Congresso.

Já votaram pela absolvição Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Barroso e Ricardo Lewandowski. Rosa Weber votou pela absolvição no passado e deve manter tal voto. Marco Aurélio foi contra, mas indicou que poderia mudar. Se isso ocorrer, os réus ficarão livres da pena. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.