NOTÍCIAS
22/02/2014 12:55 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:13 -02

Roberto Jefferson, delator do mensalão, só será preso na segunda

Estadão Conteúdo/Marcos de Paula

A Polícia Federal revelou através do Twitter que o ex-deputado federal Roberto Jefferson (PDT-RJ), que em 2005 delatou o esquema do mensalão, só deve ser preso nesta segunda-feira (24). O mandado de prisão, emitido pelo Supremo Tribunal Federal, não deve chegar às mãos da PF antes disso. Jefferson é o último entre os condenados à prisão no processo do mensalão que continua em liberdade. Sua pena, de sete anos e 14 dias, será cumprida em regime semi-aberto.

Desde a noite de sexta (21), Jefferson espera a chegada da ordem de prisão em sua casa, na cidade de Comendador Levy Gasparian, na região serrana do Rio, acompanhado pela mulher Ana Lúcia e pelos filhos. Policiais federais e jornalistas esperavam na porta que o mandado chegasse na manhã de sábado, o que não aconteceu.

Quando os policiais finalmente receberem a ordem, vão levar o ex-deputado para a Superintendência da PF na Praça Mauá, no centro da capital carioca, onde ele aguardará transferência para presídio no Rio de Janeiro. A PF informou que vai manter agentes de plantão na porta da casa de Jefferson até a chegada do mandado.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, negou o pedido de prisão domiciliar de Jefferson, que alegava necessitar de cuidados médicos especiais, pelo tratamento contra um câncer no pâncreas. Condenado pelo Supremo Tribunal Federal pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, Jefferson terá de cumprir a pena de prisão e ainda pagar uma multa de R$ 720.800,00.

Vaquinha

Para levantar o dinheiro necessário para pagar essa multa, seguindo o exemplo de condenados do PT no processo do mensalão, Jefferson está organizando uma "vaquinha", que foi divulgada em seu blog. Numa alfinetada nos políticos petistas, entretanto, sobre os quais o ministro Gilmar Mendes do SFT levantou dúvidas pela velocidade em que conseguiram reunir quantias tão elevadas, ele afirma que vai enviar ao Supremo a lista com o nome e o CPF dos que contribuírem _e, por isso, pede que todos os depósitos sejam identificados

Aos interessados

Como já disse aqui no blog, estou vendendo o escritório de advocacia que há anos mantenho no Rio de Janeiro, no Centro, como forma de arrecadar parte dos recursos necessários para pagar a multa que me foi imposta pelo STF. Para complementar o total necessário, reativei conta pessoal que tinha no Banco do Brasil, e que está a partir de agora disponível para os amigos, correligionários e demais interessados em oferecer sua contribuição. Lembro que, para garantir o caráter de transparência e lisura neste processo, enviarei ao STF a lista com o nome e o CPF dos que contribuírem, por isso, peço que os depósitos sejam identificados. Estaremos recebendo contribuições na seguinte conta: Banco do Brasil, agência 1003-0, conta corrente 36343-X, em nome de Roberto Jefferson Monteiro Francisco. Agradeço desde já pelo apoio e compreensão de todos.