NOTÍCIAS
18/02/2014 14:36 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:04 -02

Rolezinhos: de desconhecidos a odiados

Amanda Previdelli/Brasil Post

Apenas cerca de 60% dos brasileiros já ouviram falar dos “rolezinhos”, encontros promovidos por jovens em shoppings centers e que causaram polêmica no início do ano. Dessas pessoas, 87,7% não apoiam a realização desses eventos.

Os resultados são parte da pesquisa realizada pela CNT-MDA durante 9 e 14 de fevereiro deste ano, com uma margem de erro de 2,2 pontos percentuais.

A maior parte dos entrevistados acredita que o principal objetivo dos rolezinhos é promover desordem (54,8%) ou promover saques em lojas dos shoppings (19,7%). Apenas 11,1% dos entrevistados concorda com os “rolezeiros” de que esses são eventos para promover uma diversão dos jovens.

Segundo a pesquisa, os brasileiros ainda defendem que o fenômeno seja reprimido e apenas 30,6% acham que há preconceito contra os jovens por eles serem da periferia. Por outro lado, a maior parte dos entrevistados não considera legítima a atitude tomada por alguns shoppings em selecionar pessoas que o frequentarão, apenas 32,2% consideram legítima a ação.

O levantamento vem em um contexto em que mais de 30% dos brasileiros consideram a segurança da cidade onde vivem ruim ou péssima. Apenas 4,9% dos brasileiros acham que a cidade em que residem é ótima em segurança.

LEIA TAMBÉM: "Rolezinho pode, mas não aqui", diz presidente da associação de shoppings