NOTÍCIAS
10/02/2014 14:57 -02 | Atualizado 26/01/2017 20:50 -02

Nova rodada de negociações sobre a Síria tem início difícil

U.N. Special Representative Lakhdar Brahimi gestures during his press briefing at the United Nations headquarters in Geneva, Switzerland, Friday, Jan. 31, 2014. At the end of the first face-to-face meetings between Syria's two sides, Brahimi said he sees some positive steps and common ground but the gaps between the sides "remain wide." (AP Photo/Anja Niedringhaus)
ASSOCIATED PRESS
U.N. Special Representative Lakhdar Brahimi gestures during his press briefing at the United Nations headquarters in Geneva, Switzerland, Friday, Jan. 31, 2014. At the end of the first face-to-face meetings between Syria's two sides, Brahimi said he sees some positive steps and common ground but the gaps between the sides "remain wide." (AP Photo/Anja Niedringhaus)

A segunda rodada de negociações de paz sobre a Síria começou nesta segunda-feira já abalada, com o mediador internacional se reunindo separadamente com os dois lados do conflito.

A reunião acontece depois de violações a um cessar-fogo local e uma ofensiva islâmica que prejudicaram o trabalho do mediador Lakhdar Brahimi.

Antes das negociações, Brahimi disse aos representantes para que fossem priorizados nas discussões o fim dos combates e a formação de um governo transitório.

Os representantes do governo afirmaram que o combate ao "terrorismo", expressão que eles usam para se referir à revolta em geral, deveria ser pactuado antes.

Durante a segunda semana de negociações, Brahimi planeja expandir o escopo das discussões para outras duas questões: como administrar a continuidade das instituições sírias e como lidar com o processo de diálogo nacional e reconciliação que deve emergir de qualquer eventual acordo em Genebra.