COMPORTAMENTO
02/02/2014 14:50 -02 | Atualizado 26/01/2017 20:50 -02

Bruno Mars toca hoje no intervalo do Super Bowl

NEW YORK, NY - JANUARY 30:  Bruno Mars attends the Pepsi Super Bowl XLVIII Halftime Show Press Conference at Rose Theater, Jazz at Lincoln Center on January 30, 2014 in New York City.  (Photo by Al Pereira/FilmMagic)
Al Pereira via Getty Images
NEW YORK, NY - JANUARY 30: Bruno Mars attends the Pepsi Super Bowl XLVIII Halftime Show Press Conference at Rose Theater, Jazz at Lincoln Center on January 30, 2014 in New York City. (Photo by Al Pereira/FilmMagic)

O Super Bowl é o maior palco, em termos de audiência, que um artista pode almejar. Mais de cem milhões de pessoas assistem à final do campeonato de futebol norte-americano todos os anos. Em 2014, a atração do ano será o cantor pop Bruno Mars. E sabe quanto ele vai ganhar para tocar por 12 minutos no intervalo da partida? Absolutamente nada.

O total de zero dólares será pago pela confederação de futebol americana para o artista. E não pela polêmica escolha - ele vai pisar no mesmo palco que, no ano passado, a rainha do pop Beyoncé pisou, mas pelo fato de que nenhum artista é pago para fazer esse show. Os cantores performam e, em troca, a NFL oferece o espaço e a audiência.

A troca costuma funcionar: a venda de álbuns dos artistas do meio período aumenta nas semanas seguintes ao Super Bowl. Talvez para um artista menos conhecido como Bruno Mars (estamos comparando com shows de Madonna, Paul McCartney, Rolling Stones e Prince!) o aumento nas vendas seja até maior do que foi para artistas já consolidados. O fato é que a escolha do cantor, famoso por canções pop melosas, foi uma aposta da NFL. Vamos acompanhar.

Veja a performance de Beyoncé no ano passado: