NOTÍCIAS
31/01/2014 09:57 -02 | Atualizado 26/01/2017 20:50 -02

PSDB vai à Justiça Eleitoral contra Padilha por propaganda antecipada

Visita do Ministro da Saúde Alexandre Padilha ao Hospital Geral Roberto Santos. Inaugurando a nova UTI Cirúrgica e a Unidade  de Hemodinâmica.



Foto: Bruno Ricci/Secom
Fotos GOVBA/Flickr
Visita do Ministro da Saúde Alexandre Padilha ao Hospital Geral Roberto Santos. Inaugurando a nova UTI Cirúrgica e a Unidade de Hemodinâmica. Foto: Bruno Ricci/Secom

Os tucanos estão afiando o bico neste período pré-campanha. Depois de apresentar uma representação contra a presidente Dilma Rousseff na Comissão de Ética da Presidência, motivada pela escala dela em Lisboa, no último sábado (25), agora o PSDB mira no ministro da Saúde demissionário, Alexandre Padilha, pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PT.

O pronunciamento de quarta-feira (29) de Padilha sobre a incorporação da vacina contra o HPV pelo Sistema Único de Saúde (SUS) foi considerado propaganda eleitoral antecipada pelos tucanos. O jornal Folha de S. Paulo informa que o PSDB vai alegar à Justiça Eleitoral que Padilha fez mais "promoção pessoal" do que propriamente falou da vacinação das adolescentes de 11 a 13 anos.

A imunização gratuita das meninas contra o HPV só estará disponível na rede pública a partir de 10 de março - portanto, mais de um mês após o pronunciamento do ministro, que se prepara para deixar o comando da Saúde na segunda-feira (3). Já na segunda semana de fevereiro, Padilha estará em caravana por São Paulo para divulgar sua candidatura ao governo de SP.

De acordo com o Estadão, o pronunciamento de Padilha custou R$ 55 mil e foi preparado pela agência Propeg.