OPINIÃO

O que seu aperto de mãos revela sobre você

A boa notícia é a seguinte: se você não gosta do que seu aperto de mãos diz a seu respeito, pode mudar essa conversa. 😁

06/03/2017 10:13 -03 | Atualizado 06/03/2017 10:31 -03

Independentemente do que você sente sobre isso, seu aperto de mãos revela muitas coisas a seu respeito.

Não acredita? Um estudo da Universidade do Alabama, feito em 2000, constatou que o modo como uma pessoa cumprimenta outras com um aperto de mãos permanece constante através do tempo e está relacionado a aspectos de sua personalidade. As pessoas com um aperto de mão firme tendem a ser mais extrovertidas, abertas a experiências novas, menos neuróticas e menos tímidas que as pessoas que dão um aperto de mãos mole e solto.

Então o que seu aperto de mãos revela a seu respeito? Ele declara ao mundo que você é ousado e autoconfiante? Ou fala em voz baixa e olha para o lado, mostrando a todos que você é tímido e neurótico?

A boa notícia é a seguinte: se você não gosta do que seu aperto de mãos diz a seu respeito, pode mudar essa conversa.

O aperto de mãos trocado por Trump e Trudeau

Kevin Lamarque / Reuters

Você já observou como o presidente americano Donald Trump aperta as mãos das pessoas? Quando está cumprimentando líderes mundiais e o vice-presidente Mike Pence, Trump puxa o braço deles para seu lado como se estivesse tentando dar partida num cortador de grama, depois fica sacudindo a mão de seu interlocutor como se quisesse fazer acordos comerciais escapar entre seus dedos. O aperto de mãos de Trump confirma muitas das coisas que as pessoas dizem sobre o presidente: que ele é controlador, inseguro e quer mostrar a todos o quanto é forte e importante.

Não é o caso do primeiro-ministro canadense Justin Trudeau, que resistiu ao puxão de Trump, dando um aperto de mão que muitos descreveram como irretocável.

Seu aperto de mãos foi confiante, mas respeitoso: ele pegou a mão de Trump na dele, pôs a outra mão no ombro do presidente para afirmar seu controle, sacudiu a mão de Trump algumas vezes e então o deixou soltar a mão. A Twittersfera explodiu depois do encontro deles; um usuário descreveu aquele momento como "a maior exibição de domínio na história do Canadá".

Foi uma hipérbole, é claro, mas não há como negar que foi um gesto confiante que deixou uma ótima primeira impressão em um encontro com um homem como Donald Trump.

O aperto de mãos ideal

BraunS via Getty Images

Tente se lembrar dos apertos de mão que você já trocou na vida. É provável que algumas pessoas tenham tido mãos moles e frias, que outras tenham apertado sua mão até quase esmagá-la e que ainda outras o tenham feito pensar "será que isto daqui não vai acabar nunca?". A questão é que o bom aperto de mãos requer a pressão e o tempo corretos.

A pressão do aperto é crucial. Um aperto firme sugere confiança, abertura e calor humano. Mas se você apertar um pouco demais, pode deixar seu interlocutor na dúvida, perguntando-se exatamente o que você está tentando provar. Com pressão de menos você cria a impressão de que lhe falta autoconfiança ou simplesmente que você quer acabar logo com isso.

E há a questão do tempo. Não queira apressar o aperto de mãos. Soltar a mão da outra pessoa de repente é falta de educação e a deixará sentindo como se estivesse lidando com o setor de atendimento ao consumidor de um provedor de internet. Por outro lado, também não é aconselhável prolongar demais o aperto de mãos. Veja Trump apertando a mão de Shinzo Abe por nada menos que 19 segundos e a expressão de alívio e perplexidade que transparece no rosto do primeiro-ministro japonês quando a tortura finalmente acaba.

Um aperto de mãos muito demorado é constrangedor, incômodo e transmite desespero. Não prolongue demais o cumprimento. Um bom aperto de mãos deve durar no máximo 2-3 segundos.

Finalmente, como Trudeau, mantenha contato olho no olho com a outra pessoa, sorria e a cumprimente em tom caloroso. Olhar para o lado pode indicar insegurança, falta de autoconfiança e timidez.

Aviso aos navegantes: evite o "high-five" de punho contra punho

Sim, o gesto de bater punho contra punho virou comum, mas não é apropriado em um encontro com um cliente ou uma entrevista de emprego. Isso vai apenas fazer você parecer menos profissional, traindo imaturidade e falta de consciência da situação. Sim, pode ser mais saudável que um aperto de mãos (na medida em que menos micróbios são transmitidos quando uma pessoa apenas encosta seu punho no punho de outra), mas, se é questão de encontrar um ponto de equilíbrio do profissional e do pessoal, o contato direto proporcionado por um aperto de mãos ainda é a melhor maneira de cumprimentar as pessoas. Portanto, deixe para cumprimentar seus amigos e familiares com aqueles "high-fives" de punho contra punho.

Este texto foi originalmente publicado pelo HuffPost Canada e traduzido do inglês.