OPINIÃO

Richard Gere na Berlinale: 'Eu nunca jantaria com Donald Trump!'

Gere é ativista pelos direitos humanos.

10/02/2017 23:19 -02 | Atualizado 11/02/2017 17:55 -02
Fabrizio Bensch / Reuters
O ator americano e ativista pelos direitos humanos foi a Berlim conversar com a chanceler Ângela Merkel e divulgar o seu último filme 'The Dinner', em competição na Berlinale.

Foi concorrida a conferência de imprensa do filme The Dinner dirigido pelo israelense Oren Moverman e que faz parte da competição do festival. Tudo porque Richard Gere, o protagonista do filme, estava presente. Estavam lá também a sempre talentosa Laura Linney e o inglês Steve Coogan, e em poucos segundos a sala do Hyatt hotel se encheu de jornalistas, fotógrafos e muitos celulares em riste.

No filme, Gere faz um político concorrendo ao cargo de governador mas que precisa resolver umas pendências familiares e então organiza um jantar com o irmão (Paul Steve Coogan), a cunhada (Laura Linney) e a atual esposa (Rebecca Hall). Durante este jantar, ficamos sabendo de um segredo terrível que afetará a vida de todos ali presentes mas a essa altura o puzzle armado já está tão emaranhado que fica difícil desatar o nó.

O filme é longo (duas horas, dividídas em capítulos "entrada" "prato principal" "sobremesa") e um tanto confuso. As personagens masculinas repletas de traumas do passado por resolver, as esposas meros objetos ornamentais dos seus maridos (nem Laura Linney consegue salvar a sua Claire) e com tanto problema para resolver (no filme em si e na sua própria trama) o real motivo do tal jantar acaba por ser de pouca importância.

Na coletiva de imprensa um dos jornalistas começa formulando uma pergunta a Gere "imagine que você estivesse num jantar com Donald Trump..." e logo em seguida é interrompido pelo ator que retruca "...eu nunca estaria num jantar com Trump!"

Veja o vídeo da conferência de imprensa de The Dinner:

ETC:Vozes