profile image

Tulio Custódio

Sociólogo, curador de conhecimento e fundador do site Pitacodemia

Tulio Custódio é sociólogo, curador de conhecimento na Inesplorato, e fundador do site Pitacodemia. Apaixonado por conhecimento e experiência, brilha os olhos com pessoas, culturas e tecnologia. Transita entre academia, mercado, jazz, hip hop e arrocha, Brasil e mundo
Divulgação

'Black Mirror' não é sobre tecnologia. É sobre o que há de pior ou melhor em você

O seriado "Black Mirror", de origem inglesa (Channel 4; agora pelo Netflix) tem o dom de nos causar pauras e consternações. De uma qualidade roteirística primorosa (uns capítulos melhores que outros..mas vá lá..), ele nos proporciona de antemão aquela sensação que parece o misto perfeito da contemporaneidade consumidora de conteúdos: os picos de sensacionalismos (com situações e cenas de tirar fôlego e de explodir a imaginação), com possibilidades do "deixar você pensando"" porque invariavelmente se conecta com algo bem verossímil. O que é? Tecnologia. Humm.. na verdade não.. é sobre nós mesmos.
31/10/2016 16:59 -02
Paper Boat Creative via Getty Images

13 de Maio novamente: Abolição de quem?

O que dizer em 2016? Continuamos não modernos. Seja na inclusão dos elementos da modernidade em nossas vidas, na liberdade, igualdade e fraternidade. Seja no nosso pensamento para mundo, nas ideias e conceitos que concebemos -- frutos da luta, reflexão e vivência (não necessariamente nesta mesma ordem).
13/05/2016 20:22 -03
Divulgação

É hora de começar a valorizar a produção teórica e ideológica de negros

A militância crítica que não necessariamente teve acesso e possibilidade ou mesmo escolheu não seguir as vias acadêmicas para construção e lugar de fala não deve ser de maneira alguma desvalidada frente a um contingente de negros e negras que têm acesso às cadeiras universitárias e conquistam mais espaços diante de sua produção e contribuição científica.
07/04/2016 16:39 -03
LukePricePhotography/Flickr

Como aprendi a aprender sobre o outro

Quando tinha 18 anos, aprendi que ser "homem" era um lugar. Pouco antes, aprendi que ser negro era um lugar. Depois aprendi que ser hétero era um lugar, assim como ser cis é um lugar. Aprendi que ser negro de classe média era um lugar. Para aprender isso, tive que reconhecer a existência da mulher, do branco, do e da homossexual, do e da trans.
21/07/2015 16:48 -03
EladeManu/Flickr

Diante da desigualdade de condição, poder escolher é um privilégio

Quando falamos de privilégio, estamos evidenciando as pessoas que não têm a possibilidade de escolha, de trânsito. Estamos falando de negr@s que não podem evitar tratamento de discriminação e racismo apenas dizendo "ah, mas então eu me identifico com branc@s". Estamos falando de mulheres que não podem evitar e superar situações de abuso e violência perpetuados pelo homem apenas dizendo "mas somos iguais".
16/06/2015 17:30 -03
DavidCampbell_/Flickr

'Desde 13 de maio de 1888, jamais fomos modern@s'

Abolição de quem? Sabemos o legado que @s negr@s ainda carregam. Sabemos as desigualdades que ainda perpetuam quando separamos em números (e histórias) o Brasil dos brancos e o Brasil dos negros. Lacuna abissais que transformam o Brasil (País do futuro) em duas realidades completamente diferentes.
13/05/2015 13:37 -03
Chasing Donguri/Flickr

Pode abrir a janela?

A tentativa do controle de tudo tende a focar sobre como resultados darão certo, e como você (eu e todo mundo) não vai se frustrar com o resultado que se coloca como expectativa. Porém, independente do sucesso ou não do que é desejado, é só no caminho que aprendemos acerca da riqueza dos fatos, da riqueza das interações, da riqueza dos detalhes do processo. É na experiência que aprenderemos e colocaremos sentido na vida, inclusive para outros desejos que trilharemos.
05/05/2015 18:57 -03
tanakawho/Flickr

Igualidades

Definição de Igualidades (segundo dicionário deste autor, um neologismo apropriado para esse texto): s.f. noção etérea de igualdade de todos que, confrontada com a realidade de desigualdade e discriminação para com grupos e pessoas (diferentes, e discriminadas em sua diferença), nega tal diferença em prol da mesma noção etérea de igualdade que continua tudo na mesma. Sempre.
24/03/2015 16:15 -03
Getty Images

'Deveríamos tratar as pessoas mais como livros do que como tweets ou hashtags'

Ser julgado por um fato específico. Ser julgado por estar em certo lugar. Nenhuma dessas coisas é a melhor maneira de se ver uma pessoa. Quando falo do incômodo com as hashtags do app, não se trata apenas das críticas tidas como negativas ou as ditas positivas. Trata-se de categorizar e generalizar jeitos ou maneiras de ser ou agir que não são ou estão plenas (e iguais) no contato que temos com todas as pessoas ou em todos os contextos. Você não é a mesma pessoa com todos. Você não é a mesma pessoa em todo momento.
09/03/2015 17:58 -03
Peter Ras/Flickr

Empatia: 'ouvir e entender o lugar do outro é revolucionário e transformador'

O que gostaria de propor é que começássemos a (tentar) colocar em prática a empatia como processo real, concreto, de interação com o outro. Nesse processo ouvimos, escutamos para aprender, e sentimos, no máximo, a dor (ou problema) colocado pelo outro. E não julgamos ou (como tem sido frequente nas questões de desigualdade como raça, gênero e sexualidade) contra-atacamos, se dizendo "vítimas de algo contra-que-não-existe".
03/02/2015 17:23 -02