OPINIÃO

5 razões que explicam por que fazer terapia é importante para todos

A saúde psicológica é tão importante quanto a saúde física.

04/09/2017 15:26 -03 | Atualizado 04/09/2017 15:26 -03
Getty Images
Sucesso é um estado de espírito. Se você quiser sucesso, comece a pensar em você como bem-sucedido.

Lembro de períodos em minha infância quando as palavras terapia e terapeuta começaram a flutuar dentro e fora do meu vocabulário. Por alguma razão, durante minha juventude na Irlanda, terapia/aconselhamento/psicoterapia eram apenas para "pessoas loucas" ou pelo menos éramos condicionados a pensar dessa forma. Claro, por que você confessaria tudo e se tornaria vulnerável para um estranho?

Comecei a ler um livro chamado Broken Open, de Elizabeth Lesser, e ela construiu um argumento com o qual me identifiquei. Realmente não importa se sua infância foi muito traumática, tranquila ou muito feliz. Devido à natureza da vida e seus estágios, todos sofremos, enlutamos, reprimimos e evitamos. Faz parte da natureza de quem somos como humanos; além disso, quanto mais cedo percebemos que a saúde psicológica é tão pertinente quanto a saúde física, a profundidade pela qual sentimos a vida e outras pessoas mudará drasticamente.

Aqui estão cinco razões que explicam por que fazer terapia é importante para todos.

1. Bem-estar

Bem-estar psicológico é ter satisfação e contentamento geral em todos os segmentos da vida. A armadilha sobre o bem-estar é que alguém pode sentir que sua "vida já está resolvida", sem perceber que precisamos continuamente focar no autocrescimento, autoaceitação e desenvolvimento geral como pessoa. Isso pode significar algumas reflexões desconfortáveis, mas, no final, elas serão essenciais para nos ajudar a crescer. Estamos constantemente experimentando diferentes pensamentos, emoções e comportamentos dentro de nós mesmos; portanto, a integração disso tudo dentro de uma sociedade mais ampla deve ser nossa lição de casa para a vida. Você não pode argumentar que entende tudo o que ocorre em sua vida, quando não consegue se lembrar da última vez que fez uma autorreflexão e abriu espaço para a mudança ou crescimento.

2. Amizades

Existem várias explicações pelas quais escolhemos amigos ao longo da vida. O entendimento psicológico é que não selecionamos amigos por causa de quem eles são, mas os escolhemos porque eles nos amam e nos aceitam como nós realmente somos. Amigos colocam coisas como honestidade, lealdade e verdade sobre a mesa, todas as quais precisam de constante atenção e envolvem muito risco e vulnerabilidade. Nos apegamos a outras pessoas de maneira segura ou ansiosa, o que explica por que alguns amigos podem ter um efeito negativo sobre os outros, ao contrário das amizades positivas e saudáveis. Os amigos vêm e vão ao longo da vida; você é a única pessoa que pode determinar essa decisão. A psicologia desempenha um papel fundamental nas amizades, e a mudança de focar primeiro em nós antes de focar no amigo ou nas amizades pode responder a muitos problemas que os amigos enfrentam no dia a dia.

3. Carreira

Se você acha que uma entrevista de trabalho se baseia em qual universidade você se formou, talvez precise pensar outra vez. Recrutadores de executivos em todo o mundo usam testes psicológicos para dar a palavra final se uma pessoa conseguirá o emprego ou não. Entre esses testes, as empresas usam métodos como "Os Cinco Grandes Traços de Personalidade, que são (1) Abertura à experiência, (2) Conscientização, (3) Extroversão, (4) Amabilidade e (5) Neuroticismo. Soa desafiador no começo, mas todos esses traços se aplicam a nós e à natureza humana.

Em 2017, a correlação entre psicologia e sucesso já não pode ser ignorada, como diz a especialista Joyce Brothers: "Sucesso é um estado de espírito. Se você quiser sucesso, comece a pensar em você como bem-sucedido". Talvez aquela incômoda autorreflexão pode fazer uma diferença de 10.000 dólares a mais em seu salário anual.

4. Amor

Séculos atrás, antigos filósofos tinham diferentes teorias sobre o amor e o romance humano, mesmo antes da psicologia desenvolver suas próprias teorias. Se queremos encontrar amor, temos que estar cientes de que o amor está conectado com os sentimentos, comportamentos e atitudes de alguém. Não podemos evitar de olhar para dentro, pois a própria natureza de um relacionamento nos abre até o ponto de nos tornarmos vulneráveis naturalmente. Não existe isso de evitar a psicologia em um relacionamento amoroso. O amor é tanto uma forte conexão emocional quanto uma conexão física, que sempre requer reflexão sobre si mesmo e sobre o outro. Se um homem, por exemplo, amou sua mulher mais do que amou a si mesmo, ele é dependente de outro ser para sentir o amor, em vez de se amar primeiro e estabelecer os padrões pelos quais ele precisa ser amado.

5. Expectativas

Se você ainda não leu o livro Grandes Esperanças, de Charles Dickens, vale a pena dar uma lida. O livro investiga as expectativas versus a realidade, e destaca a verdade sobre o quanto esperamos de outros humanos ao longo da vida. Por muitos anos, a psicologia focou nas expectativas para provar que elas levam as pessoas à infelicidade e a uma grande dose de dor e insatisfação. Expectativa elevada constante de si mesmo pode ser prejudicial, pois leva as pessoas à decepção. A parte mais difícil de entender é que, se o resultado for ruim, só podemos culpar a nós mesmos por esperar tanto, para começo de conversa. Assim como podemos colocar grandes expectativas sobre nós mesmos, podemos também projetar isso em nossa família, amigos e entes queridos. A questão é que não podemos controlar as ações de outras pessoas, e a única realidade sobre a qual temos alguma influência é a nossa; mesmo isso pode ser limitado. Segundo Shakespeare, "a expectativa é a raiz de toda a mágoa".

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost CA e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- 7 coisas que pessoas com estresse pós-traumático querem que você saiba

- A brilhante resposta do CEO à funcionária que pediu folga para cuidar de sua saúde mental

Terapias alternativas