OPINIÃO

Temos de falar de saúde mental como saúde de todos

13/01/2017 20:14 -02
Toby Melville / Reuters
Britain's Prime Minister Theresa May leaves after giving a speech on mental health, in central London, January 9, 2017. REUTERS/Toby Melville

É um fato trágico que uma em cada dez crianças neste país tenha uma doença mental diagnosticável.

Os efeitos de longo prazo podem ser debilitantes: crianças com problemas comportamentais têm quatro vezes mais chances de sofrer de dependência de drogas, seis vezes mais chances de morrer antes dos 30 anos e 20 vezes mais chances de acabar na prisão.

Embora este governo tenha trabalhado para que toda doença - física ou mental - seja tratada da mesma maneira, muitas vezes o tratamento destinado a quem sofre de doenças mentais é inadequado.

Durante antes, o problema era levantado pela sociedade civil e pela mídia - e aplaudo o trabalho que o Huffington Post tem realizado para aumentar a conscientização por meio da série YOUNG MINDS MATTER.

Mas é hora de o governo fazer mais - unir-se ao The Huffington Post e outros na luta contra algo que afeta tantas vidas jovens.

A necessidade é urgente: o número de meninas que se automutilaram mais que triplicou nos últimos anos, e este é apenas um exemplo.

É por isso que falei de saúde mental em meu discurso quando cheguei a Downing Street pela primeira vez como primeira-ministra.

E é por isso que hoje estou anunciado uma mudança importante na maneira como lidamos com esse problema.

Quero que lidemos com saúde mental não somente nos nossos hospitais, mas também em nossas salas de aula e nossas comunidades.

Quero ver o fim do estigma, para que ninguém se sinta impossibilitado de falar sobre o que estão sentindo.

Quero ver foco na prevenção, bem como no tratamento, especialmente porque tantos problemas mentais da vida adulta - que afetarão uma em cada quatro pessoas - começam na infância.

É parte de uma abordagem mais ampla para atacar as injustiças sociais que enfrentamos e para construir uma Grã Bretanha mais forte e mais justa para todos.

Pais não deveriam sentir-se desamparados ao ver seus filhos sofrendo. Nenhum professor deveria sentir-se mal equipado para lidar com um aluno com problemas. Nenhum adolescente deveria ter de sair de seu bairro para obter tratamento. Nenhuma criança deveria achar que a vida não vale a pena.

Os problemas de saúde mental são problemas de todos. Temos de encarar este fato como sociedade. E os anúncios que estou fazendo hoje vão garantir justamente isso.

*Theresa May é a primeira-ministra do Reino Unido e deputada conservadora pelo distrito de Maidenhead. Ela escreveu ao HuffPost UK sobre saúde mental. As afirmações da primeira-ministra não dizem respeito à realidade brasileira.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost UK e traduzido do inglês.

*Este artigo é de autoria de colaboradores do HuffPost Brasil e não representam as ideias ou opiniões do veículo. Mundialmente, o Huffington Post é um espaço que tem como objetivo ampliar vozes e garantir a pluralidade do debate sobre temas importantes para a agenda pública. Se você deseja fazer parte dos blogueiros, entre em contato por meio de editor@brasilpost.com.br.

LEIA MAIS:

- A felicidade é maior nas sociedades onde as pessoas confiam umas nas outras

- Quando você responde que está 'tudo bem', você está bem mesmo?

Também no HuffPost Brasil:

Famosos que falaram abertamente de saúde mental