OPINIÃO

4 coisas que todo mundo precisa saber sobre não ter filhos

Hoje, ainda há uma cobrança para sermos mães, mas essa pressão coexiste com um movimento de mulheres que não querem integrar esse time.

16/02/2017 12:38 -02 | Atualizado 07/04/2017 15:54 -03
Getty Images
Superela derruba mitos sobre a necessidade de maternidade na mulher.

Na época das nossas avós, não ter filhos era praticamente impossível. Toda mulher precisava ser mãe para cumprir o seu papel dentro da sociedade. Hoje em dia, a gente já sabe que as coisas estão mudando e, apesar de ainda existir uma cobrança enorme para sermos mães, existe também um movimento contrário de mulheres que simplesmente não querem entrar para esse time.

Uma pesquisa recente que a gente aqui do Superela fez com as nossas usuárias – 3172 pessoas, no total, sendo mais de 96% composto por mulheres – mostrou que as mulheres que não querem ter filhos já são um número bem significativo do total. De acordo com os resultados do nosso estudo, 23,9% não são nem pretendem ser mães.

Ou seja, quase um quarto das mulheres pesquisadas (um total de mais de 700 usuárias) não querem entrar para o time das mães. É algo que precisa ser levado a sério em uma sociedade que busca cada vez mais a igualdade de gêneros e que não vê no homem a necessidade de ser pai.

É comum muitas pessoas levarem essa escolha como uma coisa egoísta: mulheres que não pretendem dedicar à vida a outra pessoa, não tem interesse no próximo e, mais do que isso, só pensam em si. Porém, isso não é verdade, e aqui estão 5 coisas que você precisa saber sobre esse assunto:

1. Ter filhos não salva um relacionamento

Com o número de divórcios que temos por aí, essa informação não deveria ser uma novidade. Mas, sim, ainda é muito comum os casais decidirem ser pais para melhorar o relacionamento. Mas isso não é o que acontece na realidade. No fim das contas, adicionar uma criança à equação só complica tudo e existe uma possibilidade enorme de a própria criança achar que é culpada pela separação. Criança não segura casamento e nem deveria – essa não é a função dela.

2. As pessoas sempre vão te achar 'egoísta' em algum momento

Não ter filhos? É egoísta. Ter um filho só? É egoísta também. Ter mais de um filho? Também. Se dedicar à carreira ao invés de ficar em casa cuidando da família? Ih, nem se fala. É impossível agradar gregos e troianos e sempre vai aparecer alguém para dizer que as suas ações são egoístas. Egoísmo é quando você tem um interesse muito maior pelos seus próprios interesses do que pelo dos outros, de forma que você machuca, de alguma maneira, as pessoas próximas a você por conta de escolhas que só te beneficiam. Tenha sempre isso em mente quando te chamarem assim por aí e, se você ainda tem dúvidas: não ter filhos não é, necessariamente, um ato egoísta.

3. Filho não é garantia de cuidado

Sabe quando falam que a gente precisa ter filhos pra ter alguém para cuidar da gente no futuro? Isso não significa nada, e nem é, obrigatoriamente, verdade. Apesar de as pessoas de idade serem sempre presentes na nossa vida, quantas histórias você já ouviu de filhos e netos que, de fato, cuidaram de seus pais e avós, na forma como é dito pela sociedade? Isso não é garantia de que teremos alguém do nosso lado o tempo inteiro, até os nossos dias finais, e também não é garantia de que não estaremos sozinhos.

4. A sua vida sexual sofre um baque

Também não é novidade que engravidar + ter filhos é um baque na sua vida sexual. Ser mãe já é cansativo por si só – cuidar de uma criança é exaustivo, principalmente se o seu parceiro não ajudar –, mas também existem razões físicas para o sexo receber uma pausa. Muitas mulheres precisam esperar até seis semanas depois do parto para transar novamente, é um período de recuperação, e tantas outras lidam com problemas de autoimagem depois da gestação. A rotina, que agora é dupla, também colabora para uma esfriada na cama.

Não ter filhos é uma escolha individual de cada mulher e não podemos julgá-la. Ser mãe não define quem você é como mulher – é apenas uma parte da sua vida –, assim como não ser também não tem um peso tão grande quanto imaginamos. O mais importante é você saber, antes de mais nada, que a felicidade vem de dentro, de quem você é de verdade, e que só você pode saber o que é melhor para a sua vida. Faça as suas escolhas com confiança e não tenha medo de sair do comum. Você é livre para fazer o que quiser.

Texto escrito por Marcela De Mingo e publicado originalmente no Superela.

*Este artigo é de autoria de colaboradores do HuffPost Brasil e não representa ideias ou opiniões do veículo. Mundialmente, o Huffington Post é um espaço que tem como objetivo ampliar vozes e garantir a pluralidade do debate sobre temas importantes para a agenda pública.

Leia mais:
3 mitos sobre mulheres que não querem ter filhos
6 motivos pelos quais você jamais deve perguntar se uma mulher vai ter filhos
Twitter levanta bandeira feminista ao adotar nova licença paternidade no Brasil

10 famílias disfuncionais da ficção