OPINIÃO

Romário - o primeiro socialista a fazer sentido?

29/04/2014 18:00 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:28 -02
Reprodução/Youtube

Eu me pergunto: se Romário não fosse Romário, uma lenda do futebol brasileiro, quais seriam as probabilidades de ele já ter sido "silenciado"? Quantos políticos no Brasil antes de Romário teriam sido capazes de falar tão abertamente sobre corrupção, sem qualquer forma de retaliação? Eu acho que essa é a vantagem que o Romário tem como político, como teria também alguém que faça parte do time de lendas do Brasil.

Essa semana eu assisti a uma entrevista que Romário deu ao correspondente da BBC, Stephen Sackur, para o programa Hard Talk. No programa, transmitido para um público britânico, Romário exibe seus pontos de vista rígidos, falando de diferentes assuntos: corrupção na política; corrupção no futebol brasileiro; corrupção na Fifa; o péssimo estado dos clubes brasileiros de futebol; direitos dos portadores de deficiências e doenças raras.

Mas a principal mensagem do Romário foi a seguinte: o Brasil já perdeu a Copa do Mundo - independentemente de como a seleção se saia dentro de campo. Isso por causa de todo o dinheiro perdido ou usado para "enriquecer os políticos de elite" enquanto hospitais, escolas e segurança no Brasil estão em total desordem, disse ele.

Sabe de uma coisa? Romário pode ser o primeiro socialista há tempos que faz algum sentido. Ele fala a verdade sobre o Brasil e seus problemas. Ele é um brasileiro que ama o Brasil e ama futebol o suficiente para entrar na política para tentar resolvê-lo. E ainda assim, acha que o Brasil cometeu um erro enorme sendo sede da Copa do Mundo. Ele não foge dos problemas, sabe que existem muitas coisas que precisam de melhorias e algumas coisas que são quase além do reparo sob o comando do governo atual.

Durante a entrevista, ele também falou que seus comentários sobre Pelé ser um "imbecil" foram mal interpretados. Romário esclareceu dizendo que Pelé soou como um imbecil quando disse que as pessoas não devem usar os seus direitos democráticos protestando contra a Copa do Mundo. E sim, são duas coisas muito diferentes.

Já era hora de alguém com o perfil como o de Romário tomar alguma atitude. Gringos como eu , é claro, sempre terão problemas quando falam abertamente sobre os problemas do Brasil. Na verdade, isso é algo que eu acho engraçado sobre os brasileiros. Se eu estou rodeado de pessoas conversando sobre as péssimas condições dos hospitais brasileiros, por exemplo, e eu simplesmente concordo com tal afimação, elas vão logo em seguida dizer que eu estou errado e que não sei do que estou falando, mesmo eu concordando com o que elas diziam segundos atrás! Eu não tenho o direito de fazer isso só por ser gringo? Eu já falei sobre esse assunto vária vezes no Twitter.

É um traço meio bizarro do comportamento dos brasileiros. Acho que os brasileiros acabam gastando muita energia ficando com raiva quando um gringo diz qualquer coisa negativa sobre o Brasil - a maioria delas são coisas que vocês também se queixam. Usem essa energia para se concentrar e tentar corrigir os problemas de forma democrática.

De qualquer forma, talvez Romário seja exatamente do que o Brasil precisa. Ele tem permissão para expressar suas opiniões sobre os problemas - ele é Romário. As pessoas vão ouvi-lo, porque ele é Romário. E ele parece amar o Brasil, ou seja, é alguém que deve ser levado a sério.

No fim da entrevista, Romário fez uma previsão fora da política. Segundo ele, os principais concorrentes a levantar o grande troféu da Copa serão o Brasil, a Alemanha, a Espanha e a Argentina. Todos orando para que pelo menos o campeão não seja esse último da lista.

Este texto foi traduzido para o português pela minha esposa, a blogueira Marielle Machado