OPINIÃO

Produto temporariamente indisponível. E agora?

11/06/2015 16:36 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02
Reprodução

Você quer um produto. Aí, você pesquisa, consulta diversos sites, redes sociais e inúmeros outros lugares. Finalmente, você encontra o que procura pelo valor que vale a pena comprar. Agora é só clicar, comprar e esperar pela chegada em seu endereço, mas eis que aparece a temida mensagem: produto temporariamente indisponível.

Essa mensagem não é mostrada poucas vezes aos consumidores virtuais: chegou a 44% dos produtos oferecidos pelas e-lojas no Brasil nos primeiros meses de 2015, conforme pesquisa publicada no E-commerce News, em que foram analisadas mais de um milhão de URLs.

Em sites com menos de mil URLs cadastradas, a mensagem apareceu em 30% das vezes, chegando a 47% para lojas com mais de 50 mil itens cadastrados.

Para o consumidor, fica a decepção por não conseguir levar o que deseja, mas na esperança de que esse produto volte a estar disponível em breve, por isso pode continuar entrando na loja virtual que não encontrou o que desejava para monitorar e esperar a reposição do estoque, sendo que algumas vezes pode, inclusive, comprar outro produto nesse mesmo site.

Por que os sites fazem isso, mantém os produtos "disponíveis" mesmo quando não estão com eles no estoque para entregar?

Um dos motivos é o dinamismo da internet, que muitas vezes acaba sendo mais rápido que o trabalho de reposição dos produtos e atualização no site, mesmo quando contam com um sistema de atualização automática no estoque, já que muitos clientes optam por pagar via boleto bancário, imprimem o boleto mas não pagam, o que deixaria a mercadoria como "vendida" mesmo sem o pagamento efetivo do boleto, por isso alguns sites optam por deixar um estoque maior que o real, para cobrir esses "boletos gerados e não pagos".

Outro motivo tem a ver com a indexação do site nos buscadores, que demanda um trabalho longo e demorado para o cliente que busca seus produtos poder chegar ao site e escolher o que procura. Isso faz com que, se o site retirar aquele produto fora de estoque do ar, quando retomar o estoque e recolocar no site, a busca reinicia da estaca zero, perdendo todo o trabalho de meses na tentativa de melhorar a colocação nos buscadores.

Tem também o site que trabalha sem estoque próprio, mas tem contato direto com seus fornecedores, o que faz com que assim que o consumidor efetuar a compra o site entra em contato com seus fornecedores para efetuar a entrega do produto, que nem sempre encontra-se disponível naquele momento.

Em suma, acho difícil zerar de vez a aparição da mensagem "produto temporariamente indisponível" nas lojas virtuais, mas as empresas devem tentar diminuir essa porcentagem o máximo possível, pois quando acontece isso são vendas que deixam de ser realizadas, ninguém gosta de perder a chance de efetuar vendas.

VEJA TAMBÉM:

Como é dentro de uma loja legal de maconha