OPINIÃO

O e-frete no Brasil

10/10/2014 17:52 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:04 -02
melenita2012/Flickr
comprar online, tienda online,

Quais os principais pontos que afastam o comprador de efetivar as compras online?

Medo de que o produto não seja como foi anunciado, venha com defeitos, nem venha, roubem seus dados de cartão de crédito, demore para chegar: motivos que estão no topo de qualquer lista para o comprador adicionar produtos no carrinho de compras das lojas virtuais e não dar o último clique na palavra COMPRAR e desistir da compra.

O frete, que vimos aqui responder por uma boa parte dos custos de operação das lojas virtuais, faz parte desses medos pelo seu valor acrescido ao produto e o prazo de entrega, que pode fazer um presente chegar depois da data comemorativa, por exemplo.

Para saber como está o e-frete, o frete que as lojas virtuais no Brasil utilizam, o EcommerceNews publicou uma pesquisa feita pela Axado sobre o assunto.

O principal e maior entregador das compras online no pais é o Correios do Brasil, utilizado por 93% das lojas virtuais nacionais. Também utilizam frota própria 13% das lojas, enquanto 35% utilizam outro serviço privado de transporte de mercadorias.

Considerando apenas as 40 maiores plataformas de comércio eletrônico no Brasil, 30% contam com uma ferramenta de cálculo do frete no próprio site junto com a compra, enquanto 52,2% calculam de maneira interna o valor do e-frete.

Nem adianta colocar frete grátis e embutir o valor desse frete na mercadoria, o preço que o consumidor vai pagar será o mesmo, bem como o custo que o produto vai ter, onde o valor do transporte deve ser considerado.

Para que o frete diminua o peso negativo para os consumidores e e-empresários, torna-se necessário o surgimento de novos players que possam fazer o transporte de mercadorias no pais, pois com 93% os Correios estão monopolizando o mercado, em nenhum lugar o monopólio ajuda a economia, muito pelo contrário, apesar do bom serviço e reputação que os Correios tem, ou já tiveram, entre a nossa população.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para saber mais rápido ainda, clique aqui.

TAMBÉM NO BRASIL POST:

Produtos ridículos para mulheres "finas"