Uma competição de marcha à ré (e um prato nada agradável) no segundo episódio da Sandero R.S. Race

20/10/2015 21:09 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
Estúdio ABC

Lembra que eu brinquei que o roteiro da #SanderoRSRace parecia aqueles clássicos da Sessão da Tarde? Pois é, eu não estava exagerando. Chegamos ao mais novo autódromo brasileiro, o Velo Cittá, para uma competição no mínimo inusitada: uma prova feita inteira em marcha à ré. Com mais um detalhe, os "pilotos" teriam que correr vendados!

Claro que para isso ser possível eles teriam um navegador. No time R, o Murilo seria o "piloto", com Andreoli como navegador. No time S, Antonio Tabet ditaria as coordenadas para o Sílvio. A produção caprichou fazendo um circuito cheio de curvas, onde a derrubada de 3 cones significava a eliminação da prova.

sandero

Nós, jornalistas, fomos os juízes. Eu e a Vanessa trocamos de carro para garantir que os pilotos não tirassem as vendas. Os humoristas usaram a câmera de ré do Sandero R.S. para guiar a competição "reversa". Aliás, a gente comentou que esse item futuramente será como o ar condicionado e a direção hidráulica. Depois que você acostuma, fica difícil viver sem. Quando pego um carro alugado sem o item fico meio perdido na baliza... E olha que pega mal um jornalista especializado errar o cálculo, né?

Voltando à competição: Murilo começa bem, mas empaca na penúltima curva. Dentro do carro do time S, fico até constrangido de tanto desencontro entre o Sílvio e o Tabet! Pra láááá... Não, pra cáááá... Esqueeerda... Direeeita. Nãooooo! É até melhor assistir ao episódio logo:

Pois é. Foi engraçado, mas ao mesmo tempo imaginava que o mesmo acontecia no time R! E não é que, depois de andar um pouco à frente para ajeitar o carro, o Sívio conseguiu terminar o percurso acelerando forte de marcha ré? Quase atropelou o pessoal da filmagem (sério!).

Agora, no placar, 1x1. Murilo admitiu a vacilada - e, pior, nos rendeu a experiência super "agradável" de comer vendado uma surpresa do chef. Testículo de boi. Fui parar na mesa. Mas, peraí, se eu estava no carro vencedor, por que tenho que comer esse negócio esquisito? Confesso que por um momento cheguei a pensar em levantar. Mas no esporte é assim, ganhamos e perdemos juntos, então não fugi da raia.

Ou melhor, mais ou menos... aproveitei que os holofotes estavam no Andreoli e no Murilo e enrolei, enrolei, cortei um pedaço, disfarcei e... escapei! Bom, quer dizer, espero que o diretor não leia agora o blog e me obrigue a refazer esta cena. haha Ainda bem que é um reality!

sandero