OPINIÃO

Do universo de Sense8 ao universo da tolerância

12/08/2015 15:53 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:53 -02
divulgação

Sense8, série de Netflix que estreou neste ano, é uma ficção que se passa em diferentes lugares do mundo e com personagens que são extremamente diferentes em valores morais, habilidades e situação social.

Na trama os sense8 seriam como uma evolução da espécie humana, adquirindo a capacidade de sentir o outro. A conexão com o outro-diferente foi um critério considerado pelos autores como elemento de diferenciação entre a espécie humana, como temos hoje e os sense8.

É bem verdade que graças ao desenvolvimento dos aparatos de comunicação e transporte temos, cada vez mais, a possibilidade de nos comunicar ou estar próximos fisicamente daqueles que são diferentes de nós.

Será preciso uma transformação de ordem biológica para que a gente consiga estabelecer conexões com os outros? Por que nós temos uma dificuldade tão grande de estabelecer conexões com os outros que são diferentes? O que nos impede de estabelecer esse elo de ligação? (não como os da ficção, mas os elos com os que estão mais próximos e são diferentes da gente).

Que elemento seria articulador entre a igualdade que nos une como humanos, e as diferenças que nos caracterizam em nossas especificidades (também humanas)?

A tolerância - um valor que surge a partir na/em atitudes de diálogo.

Se o universo de Sense8 não nos pertence (ainda), um universo de tolerância e diálogo com o outro-diferente é nosso dever com a humanidade. É nosso dever no combate à barbárie da intolerância e à cegueira da indiferença. É nosso caminho para a sensibilidade e aproximação.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:


VEJA TAMBÉM:

13 fatos sobre a Netflix que você não sabia