OPINIÃO

O jornalismo é mais uma vítima dos atentados de Barcelona e Cambrils

Os editorias dos principais jornais da Espanha culpam os soberanistas catalães pelos ataques.

20/08/2017 14:52 -03 | Atualizado 20/08/2017 14:52 -03
Sergio Perez / Reuters
Os espanhóis se reuniram na Praça de Catalunha, que fica em Las Ramblas, junto com o rei Felipe VI, o chefe de governo Mariano Rajoy, o presidente catalão, Carles Puigdemont, e a prefeita Ada Colau.

Não faltam artigos analisando, lamentando e buscando entender os atentados em Barcelona e Cambrils, me sinto representado por muitos.

No entanto, algo que parece estar passando despercebido (e é até compreensível, dada a comoção causada) é a posição reacionária e vergonhosa de parte da mídia espanhola (aqui sem qualquer surpresa) em tentar culpar os soberanistas catalães pelos atentados.

Sabemos que a costa da Catalunha é um criadouro de radicais muçulmanos. Não faltam mesquitas tomadas por radicais e a região tem ligação até mesmo com os atentados de 11 de Setembro (essa threadé bem explicativa).

O incrível é que tanto o El País quanto o El Mundo culpem o governo catalão e os partidos soberanistas. O fato das fronteiras serem de responsabilidade do governo espanhol não entra na equação, nem o fato do serviço secreto, que deveria manter sob vigilância os suspeitos, ser de responsabilidade espanhola e não catalã.

Segundo ambos os jornais em seus editoriais, a culpa é dos soberanistas antidemocráticos por quererem que a população vote (sim, isso mesmo) sobre o futuro de sua região e de seu povo. E que debatam um processo de separação da Espanha.

Segundo os jornais, a independência (catalã) é um assunto que atrapalha a luta contra o terror. Mas esqueceram de dizer se Madrid também tinha um movimento soberanista atuando quando a Al Qaeda atacou a cidade (e, na época, Aznar acusou a ETA num dos mais ridículos episódios de propaganda nacionalista espanhola).

Será que a endêmica corrupção do PP, partido no poder, também não distrai as autoridades do seu trabalho de impedir atentados terroristas? O tema parece não interessar aos jornais.

A vontade do povo catalão é irrelevante para o nacionalismo espanhol. Se acreditam que são maioria, que votem e deixem votar - mas não querem, por que será?

O nacionalismo espanhol disfarçado de "senso comum" é simplesmente nocivo. Passa por cima de qualquer vontade democrática, de respeito à diversidade e à vontade política dos catalães enquanto falseia a realidade tentando culpar as vítimas pelo que sofreram.

É difícil não sentir-se enojado.

Em meio à tragédia, o jornalismo carniceiro espanhol busca encontrar culpados entre as vítimas.

Editorial do El Pais:

"Un ataque de esta magnitud tiene que ser un aldabonazo que devuelva a la realidad a las fuerzas políticas catalanas que, desde el Govern, el Parlament o los movimientos por la independencia han hecho de la quimera secesionista la sola y única actividad de la agenda política catalana en los últimos años. Es hora de acabar con los sinsentidos democráticos, la violación flagrante de las leyes, los juegos de engaños, los tacticismos y los oportunismos políticos. Es hora de que nuestros gobernantes, todos nuestros gobernantes, trabajen en beneficio de los verdaderos y principales intereses de los ciudadanos."

Uma análise do caso (em catalão):

"L'editorial d'El Mundo destaca Barcelona com una de les ciutats "en què el salafisme radical ha trobat més adeptes" i on la comunitat islàmica mostra més senyals de radicalització. "Aquestes dades haurien de fer reflexionar a les autoritats catalanes sobre una política d'acollida on han primat a vegades els interessos electoralistes, vinculats a l'independentisme, sobre una seguretat nacional", asseguren."

E outra análise, também em catalão, com alguma ironia:

Per contra, cap ni una de les grans capçaleres internacionals relaciona els atacs terroristes contra Barcelona i Cambrils amb l'independentisme català. La BBC és dels pocs mitjans que aventura alguna explicació, vinculada a la presència de tropes espanyoles a l'Iraq: "L'agència de notícies d'Estat Islàmic, Qama, ha dit que l'atac forma part dels esforços per arribar fins els estats que lluiten en la coalició anti-Estat Islàmic liderada pels Estats Units". En aquest sentit, la BBC esmenta els "centenars de soldats espanyols que són a l'Iraq". The Guardian fa un recull de premsa internacional sota el títol genèric d'"Els diaris condemnen els atacs a Barcelona i Cambrils com 'el mal' i 'comesos per bastards'":

*Este artigo é de autoria de colaboradores ou articulistas do HuffPost Brasil e não representa ideias ou opiniões do veículo. Mundialmente, o HuffPost oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.

LEIA MAIS:

- Multidão homenageia vítimas com 1 minuto de silêncio seguido pelo coro 'não temos medo'

- A onda de solidariedade que tomou da cidade

- Por que Las Ramblas não é qualquer lugar de Barcelona

Atentado em Barcelona