OPINIÃO

Volta dos Tribalistas enlouquece a internet e lança 'hand album'

As 4 canções lançadas apontam mais para reflexões sobre questões políticas e humanitárias.

10/08/2017 12:07 -03 | Atualizado 10/08/2017 12:09 -03
Reprodução/Facebook
Arnaldo Antunes, Marisa Monte e Carlinhos Brown anunciaram a volta dos Tribalistas.

Anunciação de novos e bons tempos. Assim pode ser resumida a recepção dos internautas para o segundo álbum dos Tribalistas no especial Juntos somos um Só. O trio formado pelos cantores e compositores Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown e Marisa Monte se uniu ao Facebook e ao Spotify para o lançamento.

Ao todo, os artistas prometem entregar dez músicas até o final deste mês. Na noite desta quarta (9), durante uma transmissão ao vivo, foram interpretadas e disponibilizadas apenas quatro delas: Diáspora, Um Só, Fora da Memória e Aliança.

Antunes não considera o novo trabalho uma "volta". "A gente sempre esteve aí". E Brown confessa: "Não aguentava mais mentir". Já que, sempre que questionado se haveria outro disco, costumava dizer um "nããão" bastante evasivo.

A temática das canções inicialmente apresentadas aponta mais para reflexões sobre questões políticas e humanitárias. O que cria uma diferenciação entre o álbum de 2002 de atmosfera sonora mais romântica. Sobre as músicas que estão por vir, ainda só resta segredo.

Depois do (mega) sucesso da primeira tribalização, que rendeu uma longa lista de prêmios, o trio se reuniu em 2013 para a gravação de Joga Arroz, em apoio ao casamento civil igualitário, que contempla o casamento gay.

Novos tempos mesmo!

No início deste ano, os artistas haviam ventilado que estavam se reunindo e compondo novamente. Mas o projeto permaneceu sob absoluto sigilo. Em especial, a interface que Marisa prefere chamar de "hand album". Ela lembrou com nostalgia da relação que os discos e seus encartes ofereciam.

"Uma experiência incompleta", afirma ela sobre quando não se tem informações sobre músicos, produtores, projeto gráfico e letras para cantar junto. Daí nasce a proposta de também resgatar e ressignificar a função do encarte.

O tal "hand album" só funciona no celular e traz dados como ficha técnica, letras, cifras, vídeos, fotos e links das músicas armazenadas no Spotify.

Com esta ação, os Tribalistas dialogam com o que há de mais atual na maneira como se consome música hoje em dia: pelas plataformas de streaming. E projetam uma audiência mais duradoura, por não entregarem todas as faixas de uma só vez.

Bem diferente do ritmo de lançamentos de extended plays (EPs) que recentemente a indústria musical adotou após a quase total aposentadoria dos long plays (LPs em vinil e CD).

A chegada de um novo álbum deixa bastante evidente que, da memória e dos corações de milhões de brasileiros e fãs espalhados pelo mundo, os Tribalistas, de fato, nunca se foram.

*Este artigo é de autoria de colaboradores ou articulistas do HuffPost Brasil e não representa ideias ou opiniões do veículo. Mundialmente, o HuffPost oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.

LEIA MAIS:

- Como jovens do interior de Minas triunfaram no maior festival de dança do mundo

- As 7 melhores reações ao retorno dos Tribalistas

11 músicas sobre a Paz