OPINIÃO

Indignação seletiva na Educação: Dilma cortou mais de R$ 11 bi, e ninguém ocupou escola

27/10/2016 23:48 BRST | Atualizado 27/10/2016 23:48 BRST
Divulgação

Em 2015, o governo cortou R$ 10,5 bilhões do orçamento para a Educação. Era o ano em que foi definido o slogan "Pátria Educadora".

O Fies, na ocasião, cortou 1,7 bilhão em relação a 2014.

Menos de um ano após a sua reeleição, Dilma Rousseff já havia reduzido em 23% o orçamento prometido para o campo da Educação.

Em março de 2016, um novo corte retirou R$ 21,2 bilhões entre Ministério da Educação e do Planejamento.

As novas vagas do Pronatec em 2015, por exemplo, foram reduzidas para um número 57% menor que no ano eleitoral, alcançando 1,3 milhão, enquanto o prometido era quase 3 milhões.

Quantos professores se indignaram nas ruas ou nas redes? Raríssimos.

Quais movimentos estudantis ameaçaram ocupar instituições públicas? Não me lembro de nenhum.

Por quê?

Fica a reflexão...

Onde a ideologia supera o livre pensamento, a liberdade se confunde com autoritarismo.

Onde o fascismo surge apontado, quem direciona o dedo parece vestir a mesma suástica que critica.

LEIA MAIS:

- Que todas as peças deste jogo político caiam

- Insatisfação não é golpe

Impeachment de Dilma Rousseff