OPINIÃO

Menino de foto histórica do futebol tem hoje 17 anos (FOTOS)

24/02/2014 13:52 BRT | Atualizado 26/01/2017 21:12 BRST
Reprodução/Reuters

Ele é, possivelmente, o anônimo mais famoso do futebol mundial. Sua foto estampa pôsteres de torcidas todo o planeta, inclusive de outras modalidades. Mikey Wilson era um garotinho quando fez o sinal com o dedo médio em riste. Hoje, passados 12 anos, o fã do Feyenoord é um adolescente orgulhoso de ter virado um ícone para torcedores apaixonados.

O célebre registro aconteceu no dia 8 de maio de 2002, na final da Copa da Uefa, entre Feyenoord e Borussia Dortmund. Na ocasião, o estádio do time holandês se calou para homenagem póstuma a Pim Fortuyn, crítico do islã. Exceto os alemães, em protesto. O desrespeito irritou a torcida da casa, que respondeu com a ofensa universal do dedão esticado.

mikey wilson

Nos anos seguintes, a ida de Mikey Wilson aos estádios sempre foi motivo para pedidos do sinal do dedo médio em riste

Mikey, então com 5 anos, fez o mesmo inocentemente. Num lance de sorte, a lente do fotógrafo holandês Jasper Juinen, da agência Reuters, estava apontada justo para aquele canto da arquibancada. Com a vitória do Feyenoord por 3 a 2, o garotinho virou não apenas um símbolo da conquista. A foto rodou o mundo, como marca da paixão exasperada.

O Verminosos por Futebol localizou Mikey. Para a família do garoto, fanática pelo clube de Roterdã, ainda hoje impressiona que aquele breve segundo tenha entrado para a posteridade. "É legal saber que times de todo mundo usam essa foto, inclusive no Brasil, mas não gostaria de ver meu filho numa bandeira do Ajax", comenta o pai, Ronald Wilson.

mikey wilson

Mikey Wilson e o irmão Brian Feyenoord Wilson, dois símbolos da torcida do clube, tornaram o pai Ronald respeitado entre os torcedores

Especialmente para Ronald, toda essa repercussão foi uma satisfação. Seu pai, Mike, sempre foi um espelho. Louco pelo Feyenoord, o velho chegou a receber um enterro com honras da torcida, quando morreu em 2011. No ambiente de casa, era natural que Ronald herdasse a paixão. Paixão que depois foi transferida para a terceira geração dos Wilson.

"O Feyenoord está em nosso sangue. Por isso o time é nossa vida", prega Ronald, de 42 anos. Para alguém apaixonado assim, ter como filho um símbolo de sua torcida já seria fantástico. Pois ele foi além. Dois anos depois da foto, nascia o rebento mais novo, Brian Feyenoord Wilson, hoje com 10 anos.

mikey wilson

Em sentido horário: 1) Mikey Wilson (com cabelo moicano) ao lado do irmão Brian; 2) Brian e o pai Ronald; 3) A família Wilson captada durante transmissão de jogo; 4) Funeral do vovô Mike Wilson, com honras da torcida

Para driblar a legislação holandesa, que não permite esse tipo de homenagem no registro, o torcedor e a esposa precisaram fazer o parto na vizinha Bélgica. "Às vezes é preciso ser esperto", gaba-se. Parte graças ao acaso, parte graças à malandragem, Ronald se tornou um ídolo entre os torcedores do Feyenoord. Tanto quanto o filho Mikey.

> Para esta matéria, a intenção era que a entrevista fosse com o próprio Mikey Wilson. Como garoto é tímido, a família dele preferiu responder em nome do pai Ronald.

(Texto originalmente publicado no blog Verminosos por Futebol)