POLÍTICA

Fred Prouser / Reuters

Eike Batista, corrupção na esfera privada e a meritocracia que nos vendem

Quando você lia em matérias como 'Hoje homem mais rico do Brasil, Eike Batista chegou a vender seguros de porta em porta" você não imaginava o detalhe: Eike fez isso na Europa com 18 anos, por um curto período, enquanto se organizava para vir ao Brasil, dado que aos 21 no Brasil ele já era milionário. Não, ele não fez como nós, vendendo coisas (no meu caso cookie, ou bolo) para fechar o mês sem ter um networking de pai-empresário para se lançar em 'empreitadas geniais' como a exploração de ouro (e talvez de pessoas também, se você pesquisar cadeia de ouro na amazônia terá uma ideia).