OPINIÃO

O que você precisa saber sobre o caso de injúria racial da torcedora gremista

15/09/2014 07:31 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02
LUIZ MUNHOZ/FATOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

A vitória do Santos sobre Grêmio por 2 a 0, em Porto Alegre, no dia 28, foi marcada por um triste episódio, onde goleiro santista Aranha foi ofendido por parte da torcida gremista. Ele foi chamado de "preto fedido" e torcedores também imitaram gestos de macaco em provocação ao jogador. Mas o que ganhou mesmo destaque foi o rosto de uma torcedora gremista que apareceu na TV, ela gritava, por mutias vezes, "Macaco", ao goleiro.

Depois desse episódio, a torcedora foi identificada como Patrícia Moreira e afastada do seu trabalho no Centro Médico Odontológico da Brigada Militar. Com o ocorrido, as redes sociais ficaram lotadas de postagens com fotos da torcedora, xingamentos à ela, comentários sobre a atitude dela e diversas críticas. Por uma decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o Grêmio foi banido da Copa do Brasil, o que causou ainda mais revolta entre os torcedores.

Já que muitas pessoas saem dando sua opinião e compartilhando algumas críticas, sem ao menos pesquisar sobre o assunto, elencamos algumas coisas que você precisa saber sobre o ocorrido:

#1 Sim, ela é culpada e deve ser punida

Independentemente da exposição na mídia, nas redes sociais e da decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) em punir o Grêmio, a torcedora gremista é sim culpada e deve ser punida por isso. Crimes de injúria racial e racismo não devem mais passar por impunidade, como tantas vezes é feito no país.

#2 É errado linchar a casa dela

Justiça com as próprias mãos não vai adiantar nada, isso também é violência, e violência também é crime. Se a torcedora deve ser punida, isso tem de ser feito pelas autoridades, inclusive isso está sendo feito. Algumas pessoas escreveram nas redes sociais que "se encontrassem ela na rua, a matavam", isso não adiantaria nada e não é forma correta de punição. E o pior é que ainda há muita hipocrisia, tem gente julgando a atitude de Patrícia, mas já fez igual ou pior em outras situações.

#3 Injúria racial x racismo

A injúria racial caracteriza quando as ofensas de conteúdo discriminatório são empregadas a uma pessoa ou pessoas determinadas, no caso quando há a atribuição de uma qualidade negativa a alguém. Este crime ofende a honra subjetiva da vítima, como foi no caso da torcedora dizer "macaco" ao goleiro. O crime de racismo, ao contrário da injúria racial, só acontece quando as ofensas não são direcionadas a uma ou mais pessoas determinadas, mas sim quando menosprezam determinada raça, cor, etnia, etc, agredindo um número indeterminado de pessoas. Exemplo: negar emprego a judeus em determinada empresa, impedir negros de entrarem em um shopping, entre outros.

#4 O Aranha tem todo o direito de negar o encontro

A torcedora, através de seu advogado, pediu um encontro com o goleiro, para pedir perdão a ele. Até o momento, ele negou. Uns dizem que é ato de covardia ou até mesmo que ele está certo. A verdade é que ele que sabe, é algo pessoal, ele tem todo o direito de não aceitar, assim como de aceitar, se assim quiser. Foi ele o prejudicado e só ele deve decidir como agir.

#5 Nunca saberemos se ela chorou de verdade

Alguns sites, como o Terra, publicaram que a torcedora chorou igual nas novelas, sem lágrimas, que o choro foi falso. Mas isso, nós jamais saberemos, o arrependimento de alguém nem sempre é demonstrado em choro ou com lágrimas, tomara que ela tenha mesmo se arrependido.

#6 Perdão pelo vacilo

Ela pediu perdão para o goleiro e disse que não é racista. Independentemente, que isso foi feito na frente das câmeras, ela se desculpou, era o mínimo que devia fazer, mas com tantos problemas sociais e crimes cometidos hoje em dia, fica claro que pedir desculpas não basta.

#7 Precisamos de melhores políticas públicas contra o racismo

Está na cara que o Brasil precisa urgente de melhoria nas políticas públicas que dizem respeito ao racismo, seja de cor, etnia, religião, etc. O governo necessita criar punições mais claras e fiscalização, principalmente, e aí candidatos, o que vocês pretendem fazer quanto à isso? Pessoas estão morrendo por isso, na semana passada, um gay foi espancado em Telêmaco Borba, apenas por ser gay. Até quando a impunidade se sobressairá?

#8 Outros casos semelhantes acontecem por todo país

Vemos muitas pessoas julgando o que aconteceu, mas devemos lembrar que quem tem teto de vidro não deve atirar pedras. O estádio é só um dos exemplos, mas injúria racial e racismo acontecem nas salas de aula, nos churrascos da galera, nas empresas, nas ruas. Você com certeza já deve ter presenciado desde piadas racistas até atitudes discriminatórias, então comece por você, reprimindo esses fatos e não colaborando para que isso continue.

Publicado originalmente no Mas não me diga.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para saber mais rápido ainda, clique aqui.


MAIS FUTEBOL NO BRASIL POST:

Futebol, o "jogo bonito"