Preconceito Racial

Divulgação

Criminosa não é apenas a prática da discriminação, é sua origem

O sistema da discriminação por deficiência não tem dialogado com os demais sistemas de discriminação. Nas militâncias, raramente se ultrapassa a distância regulamentar. É preciso gerar uma incidência mútua e ampla entre todos os sistemas de discriminação - dos quais Ludmilla foi mais uma vítima - porque fato é que são um só. A relação gênero x raça x deficiência x desigualdade social é a minha pauta - de inclusão - expandida e urgente.
Divulgação

Criminosa não é apenas a prática da discriminação, é sua origem

O sistema da discriminação por deficiência não tem dialogado com os demais sistemas de discriminação. Nas militâncias, raramente se ultrapassa a distância regulamentar. É preciso gerar uma incidência mútua e ampla entre todos os sistemas de discriminação - dos quais Ludmilla foi mais uma vítima - porque fato é que são um só. A relação gênero x raça x deficiência x desigualdade social é a minha pauta - de inclusão - expandida e urgente.
Pixland via Getty Images

A solidão da mulher negra não é um disfarce. Ela é real

Seja por estereótipos ou falta de representatividade, a supersexualização da mulher negra é evidente. Daí também ainda ouvimos que mulher preta é mulher boa de cama, é mulher boa para uma foda. O que não pensamos é que mulher pode gostar de sexo, umas mais outras menos e isso independe da cor da pele. Porém, estamos tão acostumados com o perfil racista que nem nos damos conta de como continuamos reproduzindo isso.
br-photo via Getty Images

O dia em que minha consciência negra despertou

Hoje eu me declaro negro. A ficha caiu tarde, mas caiu. Nunca fui vítima de ataque ou tratamento racista que tenha me causado um grande trauma, talvez por conta dessa ficha caída tardiamente. Mas quando olho para trás, posso pontuar alguns episódios curiosos. O primeiro, quando fui seguido por um segurança em um shopping center, acho que na época do Ensino Fundamental. E os outros foram todas as vezes que, pequenininho, fui apresentado pelo meu pai, que é branco, aos amigos dele como o "caçula" ou "raspa do tacho", sempre com a ressalva sobre o tom da minha pele: "puxou a família da mãe", que é majoritariamente negra de pele escura.
-

'Por favor, não encoste no cabelo do meu filho'

Estamos criando homens que não sabem quem são, mas que são obrigados a navegar o mundo fingindo que estão plenamente no controle de suas identidades, sexualidades, corpos e emoções. A realidade é que muitos de nós somos uma bagunça por dentro, por causa das restrições que nos impõem como homens negros. E tudo isso começa quando você questiona pela primeira vez o corte de cabelo daquele menininho negro.
Giorgio Majno via Getty Images

A discriminação racial em ambientes de trabalho aumenta a cada dia

É ainda mais revoltante imaginar que algumas pessoas acreditem que discriminar, humilhar, despedir e escoltar uma mulher preta de um escritório não iria gerar revolta nas pessoas. Luanna afirma que recebeu uma notificação extra-judicial para retirar a página do ar e desabafa: "Primeiro ela queria que eu tirasse o meu cabelo, agora quer que me cale!". Ela pretende prosseguir com a página, publicar os depoimentos e ajudar mais pessoas que passem pela mesma situação.
Fabiano Battaglin/TV Globo

De Blackface a Whitewashing: As representações racistas na televisão

Vivenciamos uma realidade racista e estruturante baseada na ideia da distinção entre indivíduos conforme o seu grupo racial. E estou pensando raça aqui não como um fator biológico, mas social. Portanto, esse fator interfere e muito na vida e nas possibilidades que chegam até as pessoas. Assim sendo, o racismo continua pautando nossa sociedade, pois é ensinado e alimentado cotidianamente.
Ile Machado/Carolina Horita/Camilla Loureiro

Afinal, por que precisamos falar sobre concursos de beleza?

Nós já tínhamos a clara percepção de que aquelas lindas mulheres que eram coroadas misses não representavam, de fato, a beleza das brasileiras, mas queríamos a comprovação em números. Para isso, fizemos um amplo levantamento de dados sobre as misses junto à organização do concurso e, sobre as brasileiras, com dados públicos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
wgmbh via Getty Images

Quando você diz que 'todas as vidas importam' você nega a existência do racismo

Queridas pessoas brancas como eu, vamos bater um papo honesto sobre o porquê de dizermos que "All Lives Matter" ("Todas as Vidas Têm Importância") quando falamos de racismo. Para começar, vale observar que ninguém dizia que "todas as vidas têm importância" até as pessoas começarem a dizer que "Black Lives Matter" ("Vidas Negras Têm Importância"). Portanto, "todas as vidas têm importância" é uma resposta a "vidas negras têm importância". Parece que alguma coisa na afirmação de que "vidas negras têm importância" nos incomoda. Por que será?
Reprodução

Por que eu sou racista

Eu sou um branco americano. Sou casado com uma linda loira de olhos verdes e tenho dois filhos loiros de olhos azuis. Fui uma criança loira de olhos azuis que cresceu nos subúrbios de Nova Jersey, em uma família sólida, com mãe, pai, um irmão e dois cães. Tive uma vida marcada pela oportunidade e pelo perdão; embora nem sempre tenha tido "muito", sempre contei com o benefício da dúvida.
Pacific Press via Getty Images

Vidas negras ainda não importam

Quando a polícia entra em uma favela e mata uma criança negra e pobre "por acidente, engano ou descuido", isso nem chega mais a ser notícia. Agora imagine que esse mesmo evento ocorra em um bairro de classe média e que a vítima seja uma criança branca. Seria a reação da "sociedade civil organizada" a mesma em ambos os casos?
Anis/Divulgação

Paulina Chiziane é mais do que uma mulher negra escritora de Moçambique

É assim que entendo os que desdenham dos escritos de Chiziane: a leem como uma andorinha que caga nos olhos, que desafia os leitores com a pergunta "Quem manda aqui?". A resposta só pode ser uma - Chiziane é quem manda nas letras e libera os intestinos nos olhos de leitores que não suportam uma mulher negra escritora de Moçambique traçando a antropologia de um país esquecido pela bruta colonização branca.