Marco Civil

edowoo/Flickr

'A internet grátis de Dilma e Zuckerberg é uma internet pela metade'

Com o projeto Internet.org ou seu variante acordado por Dilma, os mais pobres não poderão ter acesso aos mesmos sites e serviços que os mais ricos, não poderão ter o mesmo acesso ao conhecimento e ficarão restritos ao que provedores, empresas de telecomunicação e o governo permitirem o acesso. Se o provedor decidir que a Wikipedia não faz mais parte do pacote básico, azar o seu, pague um melhor ou fique sem Wikipedia - e isto vale para qualquer site ou serviço.
hdzimmermann/Flickr

Por que você deveria se importar com a neutralidade de rede

Ela afeta como usuários da internet vivenciam sua navegação, como as ofertas dos provedores de serviços e conteúdo são disponibilizadas aos usuários e como os provedores de serviço de Internet gerem suas redes. Algumas das ofertas disponibilizadas pelas operadoras de celular poderão deixar de estar disponíveis. Por exemplo, elas podem não ser mais capazes de oferecer acesso gratuito ao Facebook e WhatsApp: em vez disso o acesso a esses serviços seria levado em consideração na contabilização do limite de dados de conexão do usuário. Ou seja, a neutralidade de rede afeta todos na internet e determina que conteúdo, e em quais condições, é disponível online.
Alamy

Privacidade é o novo nome da liberdade na internet

O tema virou a nova fronteira da agenda de direitos humanos, estimulado pelos avanços da tecnologia da informação e pelas denúncias de Edward Snowden sobre a vigilância em massa executada pelos Estados Unidos e outros governos. A Anistia Internacional lançou campanha a respeito do tema, que inclui uma pesquisa realizada em 13 países em seis continentes indicando alemães e brasileiros como os povos mais preocupados em proteger sua intimidade diante da espionagem digital - 2 em cada 3 internautas de ambos os países temem interferências de seus governos nas suas atividades online.