Mãe

NA via Getty Images

E se sua filha não pudesse jogar porque é menina?

É uma boa oportunidade para lembrar todas as nossas filhas que elas podem fazer o que quiserem. Sempre vai ter gente querendo dizer "não", mas elas não precisam dar ouvido a essas pessoas. Essas opiniões não contam. O que importa é como elas se sentem. Crie suas filhas para que elas sejam fortes e corajosas, para que acreditem em si mesmas e saibam que podem fazer o que quiserem, sempre. E, quando ouvirem um "você não pode", elas têm de escutar sua voz interna, aquela que a incentiva e diz: "você pode, sim".
Fotosearch via Getty Images

Minha mulher e eu nunca dissemos ‘não' para nossos filhos. Eis o que aconteceu

Não sei se 'dizer sim' é o mesmo estilo que eu e minha falecida mulher usávamos, mas parece similar. O que fazíamos era chamado de "criação não-coercitiva" ou "levar as crianças a sério". Os dois jeitos de pensar parecem ser parte do "dizer sim". Também usamos o "unschooling" (método educacional que defende o aprendizado por meio de atividades escolhidas pela criança ou aluno).