Estado Islâmico

Murad Sezer / Reuters

Balas e bombas não são soluções para combater o extremismo violento

O extremismo violento não será eliminado com balas ou bombardeios. As soluções imediatas propostas no passado são mera fantasia e ingenuidade perigosa. Precisamos reconhecer nossos fracassos passados, voltar a concentrar nossa atenção sobre a resolução de conflitos, promover a reconciliação e construir a boa governança. Apenas assim poderemos frear a maré de extremismo violento e pôr fim à sequência constante de ataques terroristas pelo mundo afora.
Raphael Dias via Getty Images

Um outro legado olímpico

Dificilmente o Brasil seria alvo de um atentado, mas fazia muito sentido temer que pudesse ser palco, já que abrigou delegações de países em que esse fenômeno é uma realidade muito presente. Ao apagar das luzes dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, um dos legados por conta da realização desses é justamente a certeza de termos que debater sobre o terrorismo global em diversas esferas e como encará-lo.
Reprodução/TV Band

Um ensaio sobre a cegueira coletiva

Que postura é de se esperar de um pai, que "é" pai antes de "estar" qualquer outra coisa? Resisto muito a acreditar que estamos debatendo a falência de nossos valores, mas assim como a indagação que me veio à cabeça foi inevitável, também considero indeclinável a ideia de que a tolerância é uma exigência ética para todos nós, de qualquer raça, credo ou ideologia.