Brasil Racismo

Ilustração: Erin Robinson

Como é ser a namorada negra de alguém

Foi desejada, cobiçada, era exótica. Até teve vários parceiros, beijos escondidos no carro, recebeu mensagens de amor secretas. Viveu breves e intensos relacionamentos com pessoas que nunca estiveram prontas para algo além de sexo. Se sentia usada, reificada, levada à condição de passatempo, distração, acessório, objeto lascivo. Era uma jovem negra cansada.
Pacific Press via Getty Images

Vidas negras ainda não importam

Quando a polícia entra em uma favela e mata uma criança negra e pobre "por acidente, engano ou descuido", isso nem chega mais a ser notícia. Agora imagine que esse mesmo evento ocorra em um bairro de classe média e que a vítima seja uma criança branca. Seria a reação da "sociedade civil organizada" a mesma em ambos os casos?
Divulgação/Anistia Internacional

O Brasil perdoa o racista e condena o negro

Aqueles que portam singelos produtos de limpeza na mochila, e são de pele negra, a cor que não é da camiseta vermelha que podemos ou não escolher usar, continuam pagando pelo erro de existir. Sejamos realistas e sinceros com nós mesmos, perdoamos racistas com a mesma facilidade que condenamos negros. É só por isso que Rafael Braga está preso, e Cláudio Botelho gozando da liberdade de sentir uma vítima. Parece piada, mas não é.