OPINIÃO

Mais de 80% das crianças ouvidas pelo Unicef no Brasil temem violência

A educação de baixa qualidade também preocupa os pequenos do País.

24/11/2017 19:21 -02 | Atualizado 24/11/2017 19:21 -02
Foto: Unicef Brasil
Pesquisa realizada em 14 países incluindo Índia e México também revela falta de confiança em líderes mundiais e preocupações com clima, terrorismo e refugiados.

O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) realizou uma pesquisa em 14 países para marcar o Dia Mundial das Crianças, no último 20 de novembro. No levantamento, as crianças falaram de suas preocupações e apontaram terrorismo, violência e pobreza como os maiores males da atualidade. A pesquisa foi divulgada nesta semana.

Os entrevistados, de nove a 18 anos, estão "profundamente preocupados" com outros temas globais, como mudanças climáticas, conflitos, refugiados e migrantes. O Brasil foi o único país de língua portuguesa no grupo.

Nesta pesquisa, metade das crianças sentiram-se marginalizadas ao serem questionadas sobre decisões que as afetavam ao redor do mundo. E disseram que as vozes delas não seriam escutadas.

No Brasil, no México e na Nigéria, pelo menos sete em cada dez crianças ouvidas pelo Unicef disseram que a violência é o que mais as inquieta. Esse número foi mais alto no Brasil, onde 82% dos menores estão preocupados com o tema. No Japão, apenas 23% das crianças pensam na violência da mesma forma.

Enquanto o terrorismo assusta crianças no Egito e na Turquia, no Brasil e na Nigéria a educação de baixa qualidade é o que preocupa as crianças.

Levantamento

Em outro levantamento separado, o Unicef alertou que, apesar dos avanços, 180 milhões de crianças terão menos acesso a oportunidades que a geração de seus pais. Esses menores estão vivendo em extrema pobreza, não podem estudar e muitos sofrem mortes violentas.

O Unicef analisou a situação de crianças em 37 países, incluindo a nação de língua portuguesa no oeste da África, Guiné-Bissau.

Já o tema de um tratamento injusto aos refugiados ocupa cerca de 40% das mentes infantis, especialmente no México, no Brasil e na Turquia.

E quanto à confiança em líderes mundiais, 45% das crianças não confiam que essas pessoas possam tomar boas decisões em seu nome.

O Brasil é o pior caso, com 81%, seguido da África do Sul. Já na Índia, os menores confiam em seus dirigentes.

E ao serem perguntados sobre os nomes famosos que convidariam para sua festa de aniversário, as crianças não titubearam. Na lista, entraram o ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama, o jogador de futebol português Cristiano Ronaldo e os cantores Justin Bieber e Taylor Swift.

O Unicef realizou a pesquisa em parceria com as empresas Kantar e Lightspeed com 11 mil crianças em 14 nações: África do Sul, Brasil, Egito, Estados Unidos, Holanda, Índia, Japão, Malásia, México, Nigéria, Nova Zelândia, Quênia, Reino Unido e Turquia.

*Este artigo é de autoria de colaboradores ou articulistas do HuffPost Brasil e não representa ideias ou opiniões do veículo. Mundialmente, o HuffPost oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.

Fotógrafo registra locais precários onde crianças refugiadas dormem