OPINIÃO

Peça 'Dezembro', do chileno Guillermo Calderón, reestreia em São Paulo

09/10/2015 20:01 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:53 -02

2015-10-04-1443965560-7585213-dezembro047.jpg

Primeira montagem brasileira do dramaturgo chileno Guillermo Calderón, "Dezembro" reestreou nesta semana no TUSP, em São Paulo. Depois de temporada de um mês no Sesc Consolação, em agosto, a peça, com direção de Diego Moschkovich, transporta o enredo de conflitos sociais e políticos para o simbólico espaço da rua Maria Antônia, palco do confronto entre estudantes de esquerda (USP) e de direita (Mackenzie) em 1968, durante a Ditadura Militar (1964-1985).

O elenco formado por Carolina Fabri, Michelle Gonçalves e Ernani Sanchez dá vida a história de três irmãos que vivem em uma América Latina em guerra. Na peça, as gêmeas Paula e Trinidad recebem o irmão Jorge, recém-chegado do front, para uma noite de Natal.

Para Moschkovich, o teatro é um autêntico espaço de luta e resistência. "Dezembro" traz como cenário, criado por Rafael Souza, um espaço diminuto que remete a um bunker e a uma sala de estar. A peça trabalha com a dualidade de questões íntimas e familiares ao lado de uma guerra conflagrada por um grave cenário político e social de violações. O lado de dentro e o lado de fora.

Parte do núcleo de criação teatral "Isso Não é Um Grupo", criado em 2014, "Dezembro" segue a linha de pesquisa iniciada pelo diretor e se guia pelo jogo dos atores, que se relacionam com a ação e o texto de forma viva e controlam todos os elementos do espaço cênico, como luz, objetos, figurinos, trilha sonora etc. Utiliza-se da dramaturgia contemporânea, da linguagem teatral, para questionar grandes impasses de nosso tempo, fazendo uma crítica ao mundo em que vivemos. A arte necessária.

Serviço

Dezembro

Quando: quarta e quinta-feira, às 21 horas. Até 12 de novembro

Quanto: R$ 20,00; R$ 10,00 (estudante com carteirinha, aposentado e classe artística)

Onde: TUSP - Rua Maria Antônia 294 - Consolação

Espetáculo recomendável para maiores de 12 anos.