profile image

Michele Müller

Jornalista especialista em neurociências e neuropsicologia

Michele Müller é jornalista com especialização em neurociências e neuropsicologia. Escreve para publicações nacionais das áreas de saúde mental e psicologia. Pesquisa e desenvolve estratégias de fluência na leitura e compreensão de textos.
Shannon Fagan via Getty Images

Quando o autismo se manifesta de forma diferente em meninas

A boa notícia é que o assunto emergiu com força e grande repercussão. Hoje, diversos pesquisadores ao redor do mundo, inclusive mulheres com autismo funcional e pais de meninas com o mesmo diagnóstico, estão determinados a desvendar o cérebro autista feminino. Essa nova perspectiva irá facilitar, muito em breve, identificação precoce e, assim, tratamentos mais eficazes e dirigidos às necessidades específicas das meninas.
13/10/2016 18:04 -03
Jinx Jinx via Getty Images

Playgrounds são assunto sério

A necessidade de oferecer ambientes atraentes e repletos de estímulos em espaços públicos é evidente em vários locais do mundo. Em muitos outros países, a comunidade têm à disposição parquinhos desenvolvidos por arquitetos especializados nesse setor. Alguns são tão criativos e irresistíveis que dá vontade de voltar a ser criança para aproveitar a estrutura.
09/09/2016 11:42 -03
Glow Wellness via Getty Images

Estamos caminhando para a medicalização dos problemas cotidianos

Qualquer mudança no manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais (DSM), referência mundial da psiquiatria, pode tirar milhões de pessoas do campo da normalidade. Consciente disso, o psiquiatra americano Allen Frances, líder da equipe que elaborou a redação da quarta e mais importante revisão da publicação, recusou praticamente todas as sugestões de transtornos a serem incluídos no manual, lançado em 1994. Mas com relação ao déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), achou pertinente afrouxar um pouco os critérios para facilitar sua identificação entre as meninas.
21/06/2016 11:51 -03
Divulgação

Voltando ao Normal

Lançado em 2013 nos Estados Unidos, Voltando ao Normal é o que o autor Allen Frances define de uma revolta contra o descontrole dos diagnósticos psiquiátricos, o DSM-5, a indústria farmacêutica e a medicalização da vida cotidiana. Não se trata de um desabafo qualquer. É feito por quem já esteve do outro lado - fez parte da construção do sistema de diagnóstico, ao assumir a frente da redação do DSM-IV e acompanhou de perto as investidas da indústria para conquistar e até comprar médicos e enganar pacientes.
21/06/2016 11:50 -03
Fotosearch via Getty Images

O privilégio que é crescer em um ambiente inclusivo

É a partir dessa perspectiva e do olhar para os interesses individuais que deve ser construído o desenvolvimento de todas as áreas deficitárias, inclusive emocional e social. Essa abordagem humana e verdadeiramente inclusiva envolve profissionais comprometidos, uma escola que acredita no potencial de cada um e abraça a diversidade e colegas educados com os valores necessários para deixar este mundo um lugar cada vez melhor para se viver.
01/06/2016 19:02 -03
SIphotography via Getty Images

O melhor antidepressivo que existe está em você

Não é preciso de muito tempo nem de uma academia ou professor: basta inspirar-se em muitas das grandes mentes que há tempos já descobriram que suas habilidades mais notáveis se desenvolvem e se mantêm a partir dos movimentos mais naturais do corpo - como andar e correr. É de graça, não tem contraindicações e traz um pacote de benefícios que remédio algum jamais conseguiu oferecer.
02/05/2016 13:38 -03
StockFinland via Getty Images

Como tirar as emoções do controle

Ao colocar as emoções e a busca por prazer contínuo no centro da vida, esquecemos daquilo que as crianças sabem bem: que na observação atenta àquilo o que está fora de nós, ao nos entregarmos de forma plena a uma atividade, é que por vezes não sentimos o tempo passar. E que essa satisfação, também reconhecida como felicidade, tem algo em comum com a dor: ela desaparece, mas sempre vai reaparecer.
18/03/2016 16:57 -03
Andrey Armyagov via Getty Images

Estamos medicando a imaturidade?

Até o final da década de 90, a sigla TDAH, do transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, era pouco conhecida fora da área da saúde e drogas como metilfenidato (Ritalina) eram raramente prescritas. Em cerca de duas décadas, o termo entrou para o vocabulário corriqueiro de pais, professores e qualquer profissional que trabalha com crianças.
18/02/2016 18:24 -02
Image by J. Parsons via Getty Images

Crianças precisam de mais jogos e brincadeiras e menos tempo em sala de aula

Mais que receber informações, crianças precisam aprender a controlar seus impulsos e sua atenção. Precisam dividir e esperar a vez do outro; resolver conflitos sociais; lidar com frustrações e derrotas; sentir-se valorizadas e parte de uma equipe; praticar o equilíbrio, coordenação motora e agilidade física. Não é na carteira escolar que essas habilidades se desenvolvem. É na quadra esportiva, na sala de dança e nas salas de arte.
17/02/2016 11:20 -02