OPINIÃO

O que acontece quando introvertidos 'saem do armário'

04/02/2016 17:25 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

2016-01-27-1453907501-8962261-Meetup2.jpg

Primeiro Meetup foi em uma luderia. O segundo será em um karaokê

Você já se sentiu a ovelha negra da família, um estranho no ninho ou um peixe fora d'água por não gostar de ir a baladas, falar baixo demais ou não ter uma necessidade forte de interação social? Sempre sentiu uma forte pressão social para ser mais descolado e tagarela? Alguém que, um dia, já se sentiu como você resolveu iniciar um grupo de encontros voltado para pessoas introvertidas, em São Paulo.

Após anos se sentindo incomodada com a forte pressão social para ser falante, baladeira e extrovertida, a professora e artista plástica Larissa Pontez*, 27, criou o grupo São Paulo Introverted Meetup. "Criei o grupo em outubro de 2014 e, prontamente, me esqueci dele. Ser anfitriã nunca foi meu forte e pensar em conhecer diversos estranhos de uma só vez me deixava bem ansiosa", conta.

"Entendo por introversão o trânsito de libido de fora para dentro"

Carl G. Jung, psiquiatra e psicanalista, em Tipos Psicológicos (1920)

Um ano se passou, sem que Larissa tomasse a coragem para marcar um encontro. "Imaginei que, depois disso, o grupo teria uns 15 membros, no máximo. Eu estava errada: tínhamos 115 membros, tão verdadeiramente introvertidos que ninguém nunca havia cobrado um evento!", ressalta. Hoje, o grupo já conta com mais de 170 pessoas. "Decidi que se tantas pessoas estavam se assumindo introvertidas em um mundo que preza interação social acima de tudo, precisávamos nos reunir, nem que fosse para não conversar".

Fora do armário

A internet tem sido uma ferramenta essencial para fazer introvertidos "saírem do armário" e assumirem essa característica como parte da sua identidade. "Não só pelo óbvio anonimato, mas também porque foi através dela que eu e várias outras pessoas descobrimos que nosso jeito de ser é 'normal' e até bem comum", ressalta a organizadora do grupo Meetup. "Blogs, sites e em muitos casos a palestra da autora Susan Cain no TED 'The Power of Introverts', abriram a porta para a aceitação", enumera ela (veja vídeo abaixo).

Susan Cain não foi a primeira a falar sobre a personalidade dos introvertidos. Já em 1920, o psiquiatra suíço Carl Gustav Jung (1875 - 1961), escreveu sobre o tema em seu livro Tipos Psicológicos: "Entendo por introversão o trânsito de libido de fora para dentro", explicou Jung. A libido, de acordo com a psicologia analítica desenvolvida por Jung, é a energia da psique.

Jung categorizou os tipos psicológicos em dois grandes grupos: introvertidos e extrovertidos. Sua contribuição serviu para afirmar a introversão não só como uma condição, mas como uma característica da personalidade de certos indivíduos.

Larissa, do São Paulo Introverted Meetup, explica que ser introvertido e ser tímido não são a mesma coisa, embora muitas pessoas confundam. "São características bem diferentes. É claro que existem muitos tímidos entre nós, mas um introvertido não necessariamente é tímido", diz. "A melhor descrição que já vi é que introvertidos 'recarregam as baterias' estando sozinhos, em lugares calmos e silenciosos, enquanto extrovertidos se energizam interagindo com outras pessoas", diferencia.

Diversão

Mas é claro, uma pergunta não quer calar: o que introvertidos fazem em um encontro? Ficam calados? Não necessariamente. O primeiro encontro do grupo, que ocorreu em 9 de janeiro em uma luderia, foi descrito como "um sucesso" por Larissa. "Os jogos foram uma ótima ponte para socializarmos.

"Introvertidos no armário ou que querem conhecer pessoas parecidas: juntem-se a nós! Eventualmente juntos e fora das nossas casas!"

Larissa Pontez, organizadora do São Paulo Introverted Meetup

No encontro, comportamentos introvertidos foram evidenciados de um jeito bem-humorado e empático. Coisas que costumam ser vistas pejorativamente - como não querer conversar - viraram piada e foram totalmente aceitas. "Vamos agora fazer uma pausinha para ficarmos olhando pro celular?", "Amanhã não vou querer ver ninguém, já interagi muito hoje!", "Pessoal, vou pra casa ficar sozinha, tchau!" foram frases recebidas com risada e completo entendimento.

"Agora estamos pensando em marcar um karaokê", anima-se. Mas, espera aí, Larissa... um karaokê para introvertidos não fica meio estranho? "Daqueles com salas privativas, é claro!".

Em sua descrição no Meetup.com, o grupo exibe uma imagem dizendo "Introvertidos, uni-vos, separadamente, cada um em suas casas". Em contrapartida, Larissa faz um chamado às próximas aventuras: "Introvertidos no armário ou que querem conhecer pessoas parecidas: juntem-se a nós! Eventualmente juntos e fora das nossas casas!".

*Larissa Pontez também é blogueira no Huffington Post Brasil.

LEIA MAIS:

- Quem são os 'hackers comunitários' do Brasil

- É a vez delas: Mulheres lideram 'reviravolta' no mundo da tecnologia

Também no HuffPost Brasil:

Introvertidos famosos

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: