OPINIÃO

Sobre mamadeiras, boas práticas e amamentação

17/08/2015 16:01 -03 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

A Semana Mundial de Aleitamento Materno 2015 acabou, mas muitos grupos ainda estão celebrando a amamentação em vários locais do país durante este mês e, aos poucos, as pessoas estão voltando à sua programação normal, numa rotina diária pesada que quase "come" a gente.

Apesar de todo o barulho que, cada vez mais, percebemos chamar a atenção para esse assunto tão importante, ainda nos deparamos com falas e posturas superficiais e irresponsáveis, típicas de um senso comum raso e fruto de pouca reflexão.

Hoje quero falar de uma das mais comuns, que persegue toda mulher defensora da amamentação: a de que todo bebê toma mamadeira.

A bola [furada] da vez vai para um serviço municipal de São Paulo que tem (ou teria) o DEVER de veicular boas práticas, mas resolveu divulgar um post, no seu site institucional e replicado no Facebook, divagando sobre como esquentar uma mamadeira no micro-ondas, usando como ilustração a foto de um bebê loiro de olhos azuis.

Não sei o que é pior: se o assunto insípido abordado dias após o encerramento da SMAM 2015, se o uso da foto do bebê loiro numa sociedade de etnia majoritariamente negra, se a ausência de informações corretas a respeito da indicação de uso da mamadeira, ou se a falta da informação clara a respeito do que pregam os serviços de saúde isentos: amamentação exclusiva por pelo menos 6 meses e complementar por 2 anos ou mais.

Reclamei no site, através do formulário disponível; estou esperando a publicação até agora. Reclamei na página do Facebook, a resposta foi afável, mas burocrática e superficial: "Não, não é bem assim, você não entendeu direito, o post é apenas para aquelas crianças que "precisam" usar mamadeira". Sem retratação, sem eliminação do post bobo e irresponsável (ainda está lá, acabei de checar!), só o desserviço mesmo.

É bem assim, sim!

Falar de mamadeira como um apetrecho usual, comum, como se devesse ser objeto comum do enxoval de todo e qualquer bebê é um equívoco, um erro, e vai contra TODAS as falas de TODOS os serviços em TODOS os níveis (governos, associações médicas, grupos de apoio)!

Para quem quiser saber mais sobre o problema da mamadeira, deixo vocês com apenas duas notas (tem muito mais, claro, mas acho que essas são suficientes, por hora): uma foto, e sua respectiva explicação, e o link de um blog, que é fruto de uma tese de uma designer carioca que pesquisou a mamadeira e chegou a conclusões temerosíssimas.

Vamos a elas:

UM

matrice

Esta foto conta duas histórias: a mais óbvia, sobre as freqüentes conseqüências fatais da alimentação com mamadeira; a outra mais profunda, sobre a preferência em favor do sexo masculino. A criança com a mamadeira é uma menina -- ela morreu um dia após ser fotografada. Seu irmão gêmeo foi amamentado. Esta mulher paquistanesa foi convencida por sua sogra de que não teria leite suficiente para alimentar as duas crianças, por isso deveria amamentar apenas o menino. Ela poderia ter amamentado as duas crianças, uma vez que o processo de sucção induz a produção de leite materno. "Usem minha foto se isso for útil", disse a mãe. "Eu não quero que outras pessoas cometam o mesmo erro."

*Fonte: UNICEF. Saiba mais aqui.

DOIS

E o blog Mamadeira Nunca Mais, da dra. Cristine Nogueira, onde você encontra pesquisas e informações interessantes a respeito desse apetrecho tão comum em nossas vidas, e tão prejudicial aos nossos bebês. É da Cristine o livro "O desdesign da mamadeira", leitura recomendadíssima a todos que acham que nem é tudo isso, vai...

* ATUALIZAÇÃO

Depois de muito barulho nas redes sociais (obrigada, companheiras de ativismo, pelos protestos todos!), o site da prefeitura deu um jeito de sumir com o post irresponsável e, nas horas subsequentes, publicou uma boa série sobre amamentação -- acordou pra vida, o pessoal da Comunicação de lá, que bom!

Mas como a gente percebeu, mamadeira ainda é um assunto que muita gente acha "do bem". E não é, definitivamente, não é! Pode ser usada excepcionalmente, apesar de termos opções melhores, mais saudáveis, para a grande maioria dos bebês. Pre-pa-ra, que nos próximos posts vamos falar disso!

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:



11 fotos de amamentação no Facebook