OPINIÃO

A Falácia do 'Petróleo é Nosso'

09/10/2015 01:09 -03 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

2015-10-07-1444249926-821900-petroleonosso.jpg

"Não existe dinheiro público. Existe dinheiro de pagadores de impostos"

Margareth Thatcher

Gostaria de lhe pedir um favor, meu caro leitor: dá para você mandar baixar o preço da gasolina? Tem posto cobrando R$ 3,50 o litro, está duro de engolir.

Como não consegue? Você não é um cidadão brasileiro pagador de impostos...? E empresas públicas não pertencem ao povo...? Então você é também é um dos donos da Petrobras, não é...?

Então, essa é a teoria da coisa pública.

Como cidadão ̶e̶x̶t̶o̶r̶q̶u̶i̶d̶o̶ que paga seus impostos, você tem direito a exigir que o governo ofereça serviços públicos de qualidade -- embora que, convenhamos, raramente o faça na prática.

Mas como cidadão comum, como eu, não tem direito algum sobre a gestão das chamadas 'empresas públicas'.

Afinal, pensa bem: alguma vez alguém da Petrobras te ligou para saber se você estava satisfeito com o serviço que ela presta? Ou para pedir sua opinião sobre os rumos que a empresa deve tomar?

Uma pena que não, porque tenho certeza de que, se fizessem isso, você não teria aprovado a tal compra da refinaria de Pasadena, no estado americano do Texas, pagando US$ 360 milhões por metade de uma empresa que foi vendida apenas um ano antes por US$ 42,5 milhões por ela inteira.

Tenho certeza também de que você teria mandado demitir toda a diretoria que foi responsável pela tal compra que acabou custando no total US$ 1,18 bilhão do dinheiro de nossos impostos, ou 27 vezes mais do que ela valia apenas um ano antes.

Mas a real, meu caro, é que tanto você como eu, não mandamos p. alguma dentro dessas 'empresas públicas'.

A Petrobras, na verdade, é uma 'empresa estatal de capital misto' o que significa que parte de seu capital está nas mãos de diversos acionistas, mas com mais da metade das ações com direito a voto sob o controle do governo.

E se nem os acionistas que investiram seu dinheiro diretamente na empresa têm poder de decidir os rumos dela, que dirá nós, que não compramos ação alguma...?

Empresas públicas não pertencem ao público. Pertencem ao governo. E pior, ao governo que está no poder.

Mas se a empresa é do governo, se o presidente da República decidir do nada criar mais 25 diretorias e encher de milhares funcionários em cargos de confiança fazendo a empresa gastar mais e lucrar menos, o problema é do governo, né...?

Pois aí que você se engana.

A empresa é do governo na hora de ditar os rumos dela. Mas é nossa na hora de pagar a conta de decisões mal tomadas pela diretoria.

Não importa a maneira: ou aumenta-se o preço dos combustíveis ou aumenta-se/cria-se outro imposto. O importante é cobrir o buraco que o governo criou.

Então que história é essa de "o petróleo é nosso"?

Isso é papo de nacionalistas retrógrados que durante anos e anos ficaram repetindo essa e outras frases em nossa cabeça para 'não entregar nossos tesouros ao capital estrangeiro' e outras bobagens do gênero.

Curioso que esse é o discurso tanto de radicais da direita como da esquerda. Ambos falam mal do outro, mas no fundo têm várias coisas em comum.

Para você, o que é mais importante: abastecer o tanque do seu carro pagando menos graças à concorrência de diversas empresas explorando esse setor ou pagar mais caro para usufruir de um produto '100% nacional'...?

Se respondeu a segunda alternativa, saiba que você está errado de novo, porque a Petrobras extrai em sua maioria óleo bruto e importa boa parte do combustível refinado que revende às distribuidoras.

Ou seja, aquela mistureba de gasolina e álcool que o governo inventou nem inteiramente nacional é.

Os Estados Unidos, aquele lugar tão demonizado pela esquerda do mundo todo (mas cujos militantes adoram visitar sempre que podem) é o maior consumidor de petróleo do planeta. Deveria então ser o maior interessado em controlar suas reservas com mãos de ferro, não?

Pois é, mas não. Os americanos não possuem nenhuma empresa estatal de petróleo e mesmo convertendo o preço do litro desse combustível com o dólar nas alturas ultimamente, ainda assim o preço da gasolina lá é menor que o nosso.

É somente o livre mercado, deixando as empresas concorrerem livremente, que faz a oferta crescer e o preço cair. E não centralizar as regras do jogo em uma única empresa, que se faz uma coisa errada traz um enorme prejuízo para todos nós.

Para evitar o uso político delas, governos não deveriam administrar empresas. Afinal, os governantes já têm trabalho demais para 'cuidar' de nossa segurança, educação e saúde e criar regras para a economia e as empresas atuarem.

E como bem sabemos, fazem mal e porcamente isso tudo.

E ainda devemos deixar que eles tomem conta de empresas...?

Se a Petrobras fosse uma empresa de capital inteiro aberto e houvesse livre concorrência, quem defende que 'o petróleo é nosso' poderia se quiser comprar ações dela e se unir com outros acionistas para decidir os rumos da empresa.

Nossos bolsos seriam poupados, e todos nós ficaríamos mais agradecidos e aliviados.

MAIS PETROBRAS NO BRASIL POST:

Ratos na CPI da Petrobras

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: